Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/1434
Título: Elevated inceptions and popular outcomes: the contes of Marie-Catherine D'Aulnoy and Charles Perrault
Autor: Bottigheimer, Ruth B.
Data: 2001
Editora: Centro de Estudos Ataíde Oliveira
Resumo: Os primeiros contos de fadas de Perrault, versificados — “Les Souhaits Ridicules” e “Peau d’Âne” — deviam tanto à mitologia grega e eram tão elaboradamente barrocos como os de Mme d’Aulnoy. Nos seus contos em prosa, contudo, Perrault substituiu as fadas por deuses e deusas e simplificou tanto o vocabulário como o enredo (movendo-se, por conseguinte, na direcção da narrativa popular existente então na Bibliothèque Bleue), enquanto Mme d’Aulnoy manteve a estrutura complexa e sintaxe elaborada durante toda a sua carreira de escritora. Em termos de moral, as personagens de Mme d’Aulnoy negoceiam pragmaticamente um percurso tortuoso num mundo frequentemente amoral, enquanto que os enredos de Perrault se aproximam mais da moralidade das suas conclusões. A fonte de ambos são os contos de Straparola. (Desde a redacção deste artigo, a autora descobriu elos estruturais e linguísticos inegáveis entre o “Maitre Chat” de perrault e a tradução francesa do séc. XVI do “Constantino Fortunato” de Straparola). Os dois autores diferem um do outro sobretudo no tratamento dos elementos mágicos. Mme d’Aulnoy empregou-os deliberadamente, enquanto Perrault assumiu uma atitude de ingénua aceitação da magia. Em suma, os contos de Perrault eram adequados à sua adopção no mercado popular.
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/1434
Aparece nas colecções:ELO-N0708

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
7_8_Bottigheimer.pdf505,24 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.