Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/1490
Título: Indicadores de risco ambiental para a indústria portuguesa
Autor: Mendes, Inês de Almeida
Orientador: Nunes, Luís
Palavras-chave: Avaliação de risco
Indicadores de risco
Modelo RSEI
Emissões
Risco cancerígeno
Risco não-cancerígeno
Data de Defesa: 2011
Resumo: O desenvolvimento mundial originou um aumento de produtividade por parte da indústria, o que levou à introdução de grandes quantidades de produtos químicos no ambiente, através de efluentes líquidos, resíduos sólidos, e emissões gasosas. Quando existe a possibilidade de que exposição a substâncias químicas possa causar dano ambiental é necessário e aconselhável recorrer a uma Avaliação de Risco. Esta envolve uma avaliação de risco que abrange a identificação do perigo, determinação da relação doseresposta, estimação da exposição e caracterização do risco; uma gestão de risco e uma comunicação de risco. Os regulamentos ambientais e algumas normas de saúde foram baseados em avaliações de risco para a saúde. A presente dissertação tem como objectivo principal adaptar o método RSEI a potenciais riscos ambientais prejudiciais à saúde humana, cancerígenos e não-cancerígenos, provenientes de indústrias em Portugal, em particular os distritos de Setúbal, Portalegre, Beja, Évora e Faro, compatibilizando fontes de informações e métodos. Este modelo, utilizado nos EUA, foi realizado com intuito de informar as populações dos potenciais riscos adversos para a saúde que as emissões causam e proporciona uma importante ferramenta para medir tendências gerais em relação a impactos relacionados com o risco para uma melhoria da qualidade ambiental ao longo do tempo. Os resultados do estudo indicam que o distrito de Setúbal é o mais afectado pelas emissões tanto a nível de risco cancerígeno como de risco não-cancerígeno. Destacam-se os concelhos de Sines e de Setúbal, com valores de risco total elevados. O distrito de Faro também é dos mais afectados mas apenas para o risco não-cancerígeno, destacando-se o concelho de Portimão. No entanto os concelhos mencionados não apresentam valores de risco superiores aos valores de referência, cancerígeno e não-cancerígeno. As rotas de exposição humana mais elevadas são por inalação e por ingestão de água.
Descrição: Dissertação de mest., Engenharia do Ambiente (Avaliação e Gestão Ambiental), Faculdade de Ciências e Tecnologia, Univ. do Algarve, 2011
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/1490
Designação: Mestrado Integrado em Engenharia do Ambiente. Avaliação e Gestão Ambiental
Aparece nas colecções:UA01-Teses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Inês Mendes.pdf3,88 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.