Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/1729
Título: Inteligência emocional e optimismo em estudantes do Ensino Superior
Autor: Marguilho, Rui
Orientador: Jesus, Saul Neves de
Palavras-chave: Estudantes universitários
Psicologia da educação
Inteligência emocional
Otimismo
Data de Defesa: 2010
Resumo: Esta proposta de investigação foi realizada no âmbito da Tese de Investigação do curso de Mestrado de Psicologia Clínica e da Saúde. O presente trabalho teve como objectivo investigar evidências de validade bem como os índices de precisão do instrumento. O constructo Inteligência Emocional, avaliado pelo teste, consiste na capacidade de perceber, entender e usar as emoções para facilitar o pensamento, assim como gerir as emoções para facilitar os processos cognitivos e promover o crescimento pessoal e intelectual. Através da pesquisa proposta, é visado, de um modo geral averiguar qual o entendimento, na área da psicologia, quanto à pertinência da Inteligência Emocional em relação às actividades académicas. Pretende-se igualmente aprofundar os conhecimentos relativamente aos instrumentos de medida da inteligência emocional. E em particular, recolher informação sobre a investigação feita em Portugal relativamente ao constructo Inteligência Emocional. Mais especificamente, o projecto de investigação, abrange um estudo através do qual se pretende observar as propriedades psicométricas do instrumento de medida da inteligência emocional elaborado validado por Rego e Fernandes (2001). Para isso segui a sugestão destes autores para a aplicação do seu instrumento a amostras distintas das que fizeram parte do seu estudo. Da amostra farão parte os estudantes de vários cursos de licenciatura na Universidade do Algarve: 74 no total, 20 masculinos e 54 femininos. Não é possível apresentar uma amostra de maior dimensão dado que a participação dos sujeitos e a cooperação das instituições que frequentam foi voluntária e as circunstâncias não o permitiram devido ao excesso de estudos em curso na Universidade do Algarve e às limitações de tempo. Neste estudo as diferenças que esperávamos encontrar, não foram detectadas. Não se registaram relações expressivas entre as variáveis demográficas e a Inteligência Emocional ou o Optimismo como era a nossa expectativa. Concluímos que, de certa forma, as respostas aos questionários em causa poderiam estar condicionadas por um efeito de desejabilidade social ou alguma tendência para idealizar os próprios comportamentos, sem, no entanto, conseguirmos provar este aspecto. De salientar o efeito curioso, nas respostas de diferentes géneros, em que o género masculino obteve respostas mais elevadas nas dimensões de controlo das emoções, enquanto o feminino teve o nível de respostas mais elevado nas dimensões de compreensão das emoções dos outros dentro da Inteligência Emocional. Este resultado pode significar uma tendência feminina para uma melhor compreensão das emoções e gestão das emoções dos outros.
Descrição: Dissertação de mest., Psicologia Clínica e da Saúde, Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Univ. do Algarve, 2010
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/1729
Aparece nas colecções:UA01-Teses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Inteligência Emocional e Optimismo em estudantes do Ensino Superior.pdf1,15 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.