Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/1818
Título: A transição do 1º para o 2º ciclo do ensino básico: um contributo para o estudo de um problema num agrupamento de escolas do litoral alentejano
Autor: Coelho, Maria Teresa de Oliveira
Orientador: Quintas, Helena
Palavras-chave: Articulação
Transição de ciclo
Sequencialidade
Desempenho profissional
Sucesso escolar
Data de Defesa: 2010
Resumo: O Ensino Básico corresponde, no Sistema Educativo Português, a um conjunto de 9 de anos de escolaridade, distribuídos por 3 ciclos de ensino. Num contexto mais genérico, o Ensino Básico integra um conjunto de actividades educativas, formais, não formais e informais, destinadas a satisfazer as necessidades básicas de aprendizagem das crianças a partir dos 6 anos. Os momentos de transição entre ciclos, sobretudo entre o 1º e o 2º, são vistos, por muitos autores, como problemáticos e precipitadores de situações de tensão e de stress que podem redundar no insucesso escolar dos alunos. As organizações educativas, em particular as escolas agrupadas, devem, por isso, estar atentas, e desenvolver práticas de articulação curricular que atenuem os efeitos nefastos que estas fases de mudança acarretam. Enquanto educadora de um Agrupamento de escolas situado no Litoral Alentejano, as práticas de articulação curricular, facilitadoras do processo de transição entre ciclos e promotoras de uma melhor adaptação dos alunos à realidade educativa do ciclo seguinte, suscitaram o nosso interesse. A investigação que agora se apresenta teve como propósito conhecer a representação que os docentes do Agrupamento possuem sobre esta problemática, identificar práticas efectivas que suavizem a integração dos alunos nos ciclos de ensino subsequentes, mas também provocar uma reflexão participada que envolvesse os intervenientes nos processos de articulação possíveis de implementar nas escolas do 1º e 2º Ciclos que tomámos como objecto de estudo. Trata-se de um estudo de natureza exploratória, em que foram utilizados procedimentos metodológicos de tipo quantitativo e qualitativo. Os resultados obtidos apontam para uma fraca consciência, por parte dos docentes, das consequências no desenvolvimento e nas aprendizagens dos alunos da mudança de ciclo, e também reflectem um deficit de práticas que atenuem os efeitos dessa passagem. Constata-se que prevalece o “clássico” discurso de responsabilização do ciclo anterior pelo fraco rendimento dos alunos, e que não foram activados processos e dinâmicas que reduzam danos da transição entre ciclos que penalizam os alunos.
Descrição: Dissertação de mest., Observação e Análise da Relação Educativa, Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Univ. do Algarve, 2010
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/1818
Designação: Mestrado em Observação e Análise da Relação Educativa
Aparece nas colecções:UA01-Teses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese_PDF.pdf1,58 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.