Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/1864
Título: Estratégias de controlo da poluição das águas subterrâneas pelos nitratos de origem agrícola
Autor: Guerrero, Carlos Alberto Correia
Orientador: Brito, João Manuel Carrasco de
Palavras-chave: Zonas vulneráveis
Eficiência de utilização do azoto
Fitorremediação
Adubos de libertação controlada
Lamas urbanas
Lamas celulósicas
Resíduos agro-industriais
Compostos
Data de Defesa: 2003
Resumo: O azoto é um dos principais constituintes da atmosfera terrestre. Ele pode ocorrer em diversas formas gasosas. As reacções naturais das formas atmosféricas com a água da chuva podem resultar na formação das formas iónicas nítricas e/ou amoniacais. O nitrato é altamente solúvel na água e fracamente adsorvido e/ou retido nas partículas do solo. É um ião comum resultante dos processos naturais do ciclo do azot o, contudo, as fontes antropogénicas têm aumentado rapidamente a concentração daquele ião nos solos. As maiores fontes antropogénicas são as fossas sépticas e a aplicação de adubos azotados na agricultura. Estes condicionantes associados às características químicas do nitrato fazem com que aquele ião seja susceptível de ser lixiviado através do perfil do solo, contaminando as águas subterrâneas. A poluição das águas subterrâneas pelo nitrato tem vindo a tomar proporções bastante preocupantes no mundo, na Europa e, particularmente, nalgumas regiões do País. Em Portugal continental, segundo a Directiva comunitária, o Decreto-Lei e a Portaria nacionais, foi necessário identificar algumas zonas vulneráveis, nomeadamente, a zona vulnerável de Esposende e Vila do Conde (ZV1), a zona vulnerável de Aveiro (ZV2), a zona vulnerável de Mira (ZV4) e a zona vulnerável de Faro (ZV3). Neste trabalho faz-se referência às possíveis origens de contaminação das águas subterrâneas pelo nitrato e aos problemas tanto de carácter económico e ambiental, como de saúde pública e animal resultantes do consumo de águas contendo excessivos teores deste ião. Sugerem-se algumas estratégias para o controlo e redução das perdas do nitrato de origem agrícola, resultantes de uma inadequada gestão da fertilização e da rega, que por percolação através do perfil do solo, pode atingir os lençóis freáticos. Realizaram-se três ensaios com culturas hortícolas, em vaso e em estufa, com a utilização de águas com concentração elevada de nitrato, resíduos de algumas actividades humanas, fertilizantes convencionais e de libertação controlada e um outro ensaio, de campo, realizado num jovem pomar de citrinos com a utilização de lamas urbanas, de lamas celulósicas, de um composto orgânico comercial, de fertilizantes convencionais e de libertação controlada. Os parâmetros avaliados foram a resposta produtiva das culturas à aplicação dos fertilizantes, o estado nutricional das culturas, a eficiência de utilização de azoto, a potencial contaminação microbiológica das culturas e a potencial contaminação dos solos e das águas ao nitrato e metais pesados. Nos ENSAIOS 1 e 2, com as culturas de pepino (Cucumis sativus L.) e de tomate (Lycopersicum esculentum Mill.), respectivamente, a utilização de águas com concentração elevada de nitrato, na rega daquelas culturas, não produziu resultados satisfatórios em termos de desenvolvimento vegetativo e de produção. No ENSAIO 3, numa cultura de alho porro (Allium porrum L.), observou-se alguma contaminação microbiológica, de carácter fecal, nas plantas das modalidades onde foram aplicadas lamas urbanas. No ENSAIO 4, com a aplicação dos diferentes materiais orgânicos e minerais, não se observou diferenças estatísticas no desenvolvimento vegetativo, ao nível dos acréscimos das alturas e dos diâmetros dos troncos das árvores de citrinos (Citrus sinensis Osbeck), cultivar ‘Newhall’. As eficiências de utilização do azoto, calculadas nos ENSAIOS 1, 2 e 3 foram baixas e, nos ENSAIOS 1 e 2, decresceram com a aplicação crescente daquele nutriente. Observaram-se elevadas concentrações de nitrato nos lixiviados provocados naqueles ensaios. No ENSAIO 4, também se observaram concentrações elevadas de nitrato nos lixiviados colhidos com cápsulas de porcelana, colocadas a 30 e 60 cm de profundidade. Nos ensaios 2, 3 e 4, o adubo de libertação controlada provocou, ao contrário dos resultados mencionados em outros trabalhos de investigação, concentrações muito altas de nitrato. Não foi observada qualquer contaminação dos solos, das culturas e dos lixiviados, por metais pesados, nas modalidades onde foram aplicadas as lamas urbanas, os resíduos sólidos urbanos compostados, as lamas celulósicas e o Sansão.
Descrição: Tese de dout., Ciências Agrárias, Faculdade de Engenharia de Recursos Naturais, Univ. do Algarve, 2003
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/1864
Designação: Doutoramento em Ciências Agrárias. Agroambiente
Aparece nas colecções:UA01-Teses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese_Carlos Guerrero.pdf2,25 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.