Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/2076
Título: Atitudes dos enfermeiros perante morte cerebral e transplantação de órgãos
Autor: Barradas, Júlia Florbela Gago
Orientador: Nunes, Cristina
Palavras-chave: Morte cerebral
Doação de órgãos
Transplantação
Atitudes
Enfermeiros
Data de Defesa: 2010
Resumo: Tendo em conta a investigação médica, a doação de órgãos vai continuar a ser a fonte fundamental de órgãos para transplante. O reconhecimento e a manutenção dos potenciais dadores em morte cerebral estão entre os grandes desafios enfrentados pelas equipas que trabalham em cuidados intensivos e urgências (Duarte, Salviano & Gresta, 2004). Como membro da equipa de saúde, o enfermeiro, apesar de não ser responsável pela decisão no processo, participa nos cuidados ao potencial dador de órgãos. Este estudo tem como objectivo analisar eventuais relações entre um conjunto de variáveis sócio-demográficas, de caracterização da experiência dos enfermeiros e as suas atitudes perante morte cerebral e transplantação de órgãos, para, assim, se compreenderem as suas atitudes perante a temática. A amostra foi constituída por 130 enfermeiros, correspondendo a uma taxa de resposta de 76%. Os dados foram recolhidos nos serviços de Urgência e Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital de Faro e do Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio. Para avaliação das variáveis em estudo utilizaram-se três questionários: de dados sócio-demográficos; de caracterização da experiência dos enfermeiros em relação à morte cerebral e transplantação de órgãos e das suas atitudes perante morte cerebral e transplantação de órgãos (Kim, Fisher & Elliott, 2006a). Os resultados obtidos sugerem que os enfermeiros apresentam disposição para serem dadores de órgãos, assim como consideram o transplante de órgãos importante na melhoria da qualidade de vida do receptor. O estudo sugere também que o desconhecimento e a inexperiência dos enfermeiros nesta temática estão relacionados com o seu desconforto em relação à doação de órgãos. Torna-se, assim, importante promover programas de informação/formação sobre o processo de doação de órgãos, com o objectivo de colmatar a falta de informação e de conhecimentos. Este estudo poderá ser útil no desenvolvimento desses programas, procurando reforçar a atitude positiva dos enfermeiros e melhorar a sua capacidade para actuação no processo de doação de órgãos.
Descrição: Dissertação de mest., Psicologia (Psicologia da Saúde), Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Univ. do Algarve, 2010
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/2076
Aparece nas colecções:FCH1-Teses
UA01-Teses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Relatorio30-12.pdf1,2 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.