Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/2185
Título: Sobrevivência e crescimento de juvenis de cavalos-marinhos (Hippocampus sp.): caso de estudo: Hippocampus erectus (Perry, 1810)
Autor: Alexandre, Daniel Almeida Gomes
Orientador: Simões, Nuno
Cabral Silva, R.
Palavras-chave: Cavalo marinho
Hippocampus erectus
Aquacultura
Data de Defesa: 2009
Resumo: A sobrevivência dos juvenis continua a ser um dos principais desafios no cultivo de cavalosmarinhos. De acordo com este estudo, o período "juvenil" em cavalos-marinhos representa vários tipos de indivíduos com problemas de cultivo distintos. É proposto uma divisão do período juvenil em três fases, tendo com modelo a espécie Hippocampus erectus: a) fase crítica (0 aos 20 dias após a eclosão): caracterizada por uma elevada mortalidade (a cima dos 60%), taxa de crescimento reduzida (0,37mm/dia) e indivíduos com comportamento preferencialmente planctónico com surgimento de bolhas de ar; b) fase intermediária (dos 20 aos 60 dias após a eclosão): com mortalidade entre as 20 e 35%, taxa de crescimento elevada (0,76mm/dia). Nesta fase a preocupação serão os ajustes na dieta; c) fase estável (a partir dos 60 dias após a eclosão): com mortalidade residual (neste estudo não foi registada perda de indivíduos desta fase), sendo a maximização das taxas de crescimento o objectivo a desenvolver nesta fase. O efeito de diferentes tipos de condicionamento de água na sobrevivência e taxa de crescimento foi examinada em juvenis recém-eclodidos (fases crítica) de Hippocampus erectus. A sobrevivência após 20 dias foi de 92% para água verde, 82% para bio-flocos e 78% para o controlo de água clara. A taxa de crescimento em peso para os dois tipos de água testados foi significativamente maior comparado ao controlo (P <0,05), contudo, o aumento do comprimento standard revelou apenas diferenças positivas, para “água verde (P <0,05). Ambos os tratamentos poderão ter agido como probióticos, através da regulação e / ou estabilização da microflora do sistema, com consequente efeito positivo sobre o trato digestivo dos juvenis e eficiência alimentar, além disso, tratamento de água verde induziu cor à água e proporcionou uma diferente intensidade e distribuição da luz através do aquário, quando comparado com o controle da água clara. Isso minimizou a concentração de nauplius de Artemia na superfície, reduzindo a formação de bolhas de ar e melhor eficiência de consumo. Para reduzir o aparecimento de juvenis recém nascidos com bolhas de ar, testou-se um sistema Kriesel e Pseduokrisel que impedia os indivíduo de permanecerem na superfície da água. Os resultados mostram sobrevivência muito elevada, 98% e 94% respectivamente, para os dois tratamentos. Foram caracterizados três estádios de evolução da bolha de ar, revelando que um acesso constante e prolongado à superfície poderá resultar em uma bolha de ar irreversível que irá limitar a mobilidade dos juvenis de cavalos-marinhos, causando sua morte. Esses fatos demonstram a importância da bolha de ar como causa de mortalidade durante a fase crítica. O acesso condicional à superfície revelou-se crucial para o sucesso do cultivo de cavalos-marinhos.
Descrição: Dissertação de mest., Ciências, Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente, Univ. do Algarve, 2009
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/2185
Designação: Mestrado em Ciências
Aparece nas colecções:UA01-Teses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
SOBREVIVÊNCIA E CRESCIMENTO DE CAVALOS MARINHOS (Daniel Alex.pdf19,88 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.