Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/3238
Título: Caracterização da diversidade de eucariotas fototróficos provenientes de águas ácidas de mina
Autor: Valente, Telma Cristina Teixeira
Orientador: Reis, Margarida P.
Palavras-chave: Microalgas
Biologia molecular
Carotenoides
Mina de S. Domingos
Data de Defesa: 2012
Resumo: O presente trabalho teve por objetivos principais caracterizar a diversidade de organismos fototróficos acidófilos ou acidotolerantes presentes nas águas ácidas provenientes da drenagem ácida de mina, na Área Mineira Abandonada de S. Domingos (Mértola, Portugal); produzir culturas unialgais de microalgas acidotolerantes e/ou acidófilas; e verificar o potencial biotecnológico de uma estirpe isolada com base na sua caracterização fisiológica. Procedeu-se à recolha de amostras que foram identificadas morfologicamente, recorrendo a microscopia, e molecularmente, recorrendo a técnicas de extração de DNA, de amplificação por PCR, de clonagem e de sequenciação, com base em marcadores como sequências conservadas dos 18S rDNA e 23S rDNA. Identificou-se quatro géneros de organismos fototróficos acidófilos, nomeadamente, Euglena, Coccomyxa, Chlamydomonas e Klebsormidium, bem como diatomáceas (Bacillariopheceae). Além destes eucariotas, também foi possível identificar, molecularmente, dois géneros de bactérias, Acidiphilium e Variovorax. Isolou-se duas microalgas dos géneros Coccomyxa e Chlamydomonas, em culturas unialgais, mas não axénicas, utilizando o meio MK a pH 2.5 e recorrendo a técnicas como o riscado à exaustão. Com o isolado de Coccomyxa sp. foi possível fazer estudos fisiológicos, de modo a determinar os potenciais biotecnológicos desta microalga, utilizando como alvos a acumulação de carotenóides e a produção malondialdeído (MDA). Verificou-se a taxa de crescimento desta microalga em dois níveis de pH diferentes (2.5 e 6.5/7.0), duas fontes de azoto (ureia - MKU e nitrato - MK) e em duas intensidades luminosas diferentes. A combinação entre o pH 6.5, a intensidade luminosa mais elevada e a fonte de azoto sob a forma de nitrato proporcionou a taxa de crescimento média mais elevada. A acumulação de carotenoides foi maior na cultura em meio MK a pH 6.5 com a intensidade luminosa elevada. Mediu-se MDA como parâmetro indicador da indução de stress oxidativo em duas concentrações de cobre (0.4 e 0.8 mM).
Descrição: Dissertação de mest., Biologia Molecular e Microbiana, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Univ. do Algarve, 2012
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/3238
Designação: Mestrado em Biologia Molecular e Microbiana
Aparece nas colecções:UA01-Teses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Telma_Valente__Tese de Mestrado__a25914.pdf9,12 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.