Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/3516
Título: Desenvolvimento e otimização de nanopartículas para transporte de agentes de contraste e deteção específica de cancro
Autor: Dornelles, Daniel Fernandes
Orientador: Santos, Nuno Rodrigues dos
Costa, Ana M. Rosa da
Palavras-chave: Ciências biomédicas
Cancro
Nanopartículas
Diagnóstico
Terapêutica
Data de Defesa: 2012
Resumo: Nas últimas décadas têm se desenvolvido nanotecnologias de potencial utilidade para a medicina, incluindo o desenvolvimento de nanopartículas. Para serem eficazes como elementos de diagnóstico e terapêutica, as nanopartículas, devem ser capazes de encapsular compostos no seu interior, ser estáveis, ter a capacidade para libertar drogas e agentes de contraste no tecido-alvo, e responder a estímulos fisiológicos específicos como as mudanças do pH e temperatura. Para além disso, não devem ser tóxicas para o organismo e preferencialmente, devem ser dirigidas para um alvo específico. O objectivo deste trabalho foi desenvolver e otimizar nanopartículas para transporte de meio de contraste e deteção do cancro. Com este fim, nanopartículas (NPs) com 1-metilpireno, usado como substituto de um agente de contraste, foram preparadas e conjugadas com o anticorpo monoclonal SM3 e C595 contra a proteína MUC1 que se encontra sobre-expressa na superfície das células MDA-MB-468 de cancro de mama. Foram feitos testes de citotoxicidade através do método MTT utilizando a linha celular Jurkat, sendo que os resultados comprovaram que as NPs não eram tóxicas para as células. Afim de analisar a reatividade dos anticorpos SM3 e C595, ambos reconhecendo epítopos da glicoproteína MUC1, contra as células MDA-MB-468, foi feita imunofluorescência por citometria de fluxo. Os resultados confirmaram que o anticorpo monoclonal SM3 é mais específico para MUC1 do que o mAb C595. De seguida, foi realizada microscopia de imunofluorescência com a linha celular MDA-MB-468, utilizando NPs com 1-metilpireno e conjugadas com os mesmos anticorpos contra MUC1. Os resultados revelaram maior intensidade de fluorescência em células MDA-MB-468 incubadas com NPs conjugadas com o mAb C595 do que com NPs conjugadas com o mAb SM3. Através de análises de fluorometria, verificamos que as NP-MEPI e NP-MEPI-SM3 quando imersas em DMEM, mantém a sua integridade conforme foi observado no espectro de fluorescência do 1-metilpireno na forma de monómero e de excímero. Os tamanhos das NPs preparadas ao longo do projecto foram medidos para avaliar possíveis alterações no seu diâmetro. Verificou-se que as NPs apresentavam valores de diâmetro variáveis entre cada preparação.
Descrição: Dissertação de mest., Ciências Biomédicas, Departamento de Ciências Biomédicas e Medicina, Univ. do Algarve, 2012
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/3516
Designação: Mestrado em Ciências Biomédicas
Aparece nas colecções:UA01-Teses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DANIEL F DORNELLES TESE 5 MARÇO 13.pdf3 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.