Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/3635
Título: Espécies para plataformas de evapotranspiração: capacidade de evapotranspiração e adaptação climática
Autor: Amaral, Ana Maria Antunes
Orientador: Monteiro, José A.
Data de Defesa: 2013
Resumo: Das várias espécies normalmente aconselhadas para leitos de macrófitas sabe-se pouco das vantagens relativas de cada uma delas. Dentre estas estudaram-se Iris pseudacorus, Juncus inflexus, Phragmites australis e Typha domingensis. Como elemento de inovação, adicionou-se o Nerium oleander. Pretendeu-se adquirir informação sobre a sua adaptação ao sistema utilizado, o seu potencial de evapotranspiração e a possibilidade de usar parâmetros fisiológicos como indicadores da sua eficácia relativa. Na primeira fase dos ensaios, o material vegetal foi plantado em vasos 19 e colocado em tabuleiros inundados, numa estufa. Numa segunda fase, colocaram-se as plantas numa câmara de crescimento com temperatura controlada e alta irradiância, numa tentativa de quantificar o efeito da temperatura na evapotranspiração: mediu-se a fotossíntese, a transpiração foliar e o volume de água consumido Das cinco espécies testadas, o Iris, a Typha e o Juncus adaptaram-se bem ao sistema de produção utilizado, crescendo sem problemas e ocupando toda a área do vaso obtendo-se as biomassas de 1,5 Kg/m2, 2,10 Kg/m2 e 1,6 Kg/m2, respectivamente. O Phragmites australis e o Nerium oleander não se desenvolveram como esperado. A Thypha e o Iris pareceram mais prejudicadas pela subida da temperatura aos 25ºC do que as outras espécies, tanto na fotossíntese como na transpiração. A 15ºC, conseguiram-se consumos totais de água pelas plantas de 179,38, 193,75 e 200,63ml/dia, para a Typha, o Iris e o Juncus, respectivamente. Também a 15ºC, obtiveram-se assim evapotranspirações de 8,56, 9,06 e 9,31 litros/m2 e dia, para a Typha, o Iris e o Juncus, respectivamente, o que para evapotranspiração total da capitação de água residual média (126 litros/habitante e dia) leva a dimensionamentos dos leitos de evapotranspiração entre 13,5 a 15 m2/habitante.
Descrição: Dissertação de mest., Arquitectura Paisagista, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Univ. do Algarve, 2013
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/3635
Designação: Mestrado em Arquitectura Paisagista
Aparece nas colecções:UA01-Teses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação_AnaA.Amaral.pdf1,28 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.