Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/384
Título: Contributos para o desenvolvimento de competências relacionais dos enfermeiro(a)s / comportamenteo assertivo
Autor: Janeiro, Vitalina São Facundo Inácio
Orientador: Faria, Maria Cristina Campos de Sousa
Palavras-chave: Teses
Formação de adultos
Educação de adultos
Enfermeiro
Relação enfermeiro-utente
Assertividade
Data de Defesa: 2006
Resumo: Nas últimas décadas assistiu-se a uma evolução significativa no exercício de enfermagem. Houve necessidade de nos adaptarmos a novas exigências organizacionais, a novas aplicações técnicas e novas previsões das nossas regras profissionais. No entanto, a competência técnica do enfermeiro em determinadas situações não contribuiu, quer para o bem-estar do doente quer para o bem-estar do próprio enfermeiro. O ideal seria que, os enfermeiros para além, das competências técnicas adquirissem e desenvolvessem competências relacionais para se comportarem de forma assertiva tanto com os doentes como com familiares e outros profissionais. (Riley:2000). Com este estudo, pretendemos conhecer para compreender com maior profundidade, as percepções sobre os cuidados de enfermagem na dimensão relacional das pessoas envolvidas tanto os doentes como os enfermeiros da prática. Neste sentido procedeu-se á seguinte questão: Como melhorar os cuidados de saúde prestados pelos profissionais de enfermagem ao nível das suas competências relacionais aos doentes? O estudo foi dirigido ás equipas de enfermagem dos serviços de cirurgia dos hospitais de Beja, Évora e Faro, num total de 96 inquiridos e aos doentes desses mesmos serviços no total de 91, tendo como objectivos: 1) Identificar as necessidades relacionais dos doentes; 2) Conhecer a percepção dos enfermeiros sobre as suas competências relacionais nos cuidados prestados; 3) Elaborar um plano de formação de enfermeiros em função das necessidades sentidas por estes profissionais e pelas necessidades manifestadas pelos doentes. O estudo permitiu-nos concluir que, a maioria dos doentes pensam que a prestação dos enfermeiros, poderia melhorar, na área relacional, pois a sua prestação é tida como boa na satisfação das suas necessidades básicas e ajuda nas suas limitações. No que respeita aos enfermeiros, estes referem que no seu desempenho fazem acompanhar as competências relacionais, e que estas são uma componente fundamental na prestação de cuidados, envolvendo principalmente respeito, comunicação, relações inter – pessoais, empatia, inter – ajuda. Pretendemos confrontar a equipa de enfermagem para a necessidade de se atender ás necessidades sentidas pelos doentes face à prestação dos cuidados de enfermagem na área relacional, sugerindo um projecto de melhoria da prestação de cuidados nesta área.
Descrição: Dissertação de mest., Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Universidade do Algarve, 2006
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/384
Designação: Mestrado em Ciências da Educação. Especialização em Educação e Formação de Adultos
Aparece nas colecções:UA01-Teses



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.