Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/398
Título: O microfitoplâncton e possível interferência no crescimento da dourada (Sparus aurata, Linnaeus, 1758) em tanques de aquacultura semi-intensiva
Autor: Batista, Joana
Orientador: Andrade, José Pedro
Pereira, José
Palavras-chave: Aquacultura
Pescas
Estuário
Fitoplancton
Dourada
Crescimento
Data de Defesa: 2008
Resumo: Este trabalho teve como objectivos principais a análise do crescimento da dourada em dois tanques com áreas e estratégias de produção distintas e localizados em zonas diferentes do estuário do Sado, bem como a análise de uma interacção entre o crescimento da dourada e assembleias fitoplanctónicas presentes nos tanques. Este estudo decorreu entre Novembro de 2006 e Agosto de 2007, em duas aquaculturas semi-intensivas de dourada (Sparus aurata), localizadas no estuário do Sado. As recolhas para análise de microfitoplâncton e variáveis físico-químicas realizaram-se na última maré morta e maré viva de cada mês. As amostras foram recolhidas dentro dos tanques e no estuário, na zona de captação de água. Para o estudo do crescimento da dourada realizaram-se 4 amostras por tanque onde se capturaram e pesaram 100 indivíduos. Verificou-se que as estratégias de produção de dourada são diferentes nos dois tanques, sendo que em “Musgos” se baseia mais no equilíbrio com o ecossistema, apresentando taxas de crescimento da dourada mais baixas e mais constante sempre acompanhada de uma produtividade microfitoplanctónica. No entanto em “Outro Mar” existe uma maior manipulação do sistema, levando a maiores taxas de crescimento da dourada, mas a uma fraca abundância microfitoplanctónica dentro do tanque. Não se verificaram diferenças na abundância microfitoplanctónica entre os braços do estuário. No entanto, na análise realizada dentro dos tanques observaram-se diferenças significativas entre os dois tanques. Verificou-se, ainda que existe uma relação entre as taxas de crescimento da dourada e as taxas de crescimento de microfitoplâncton no tanque em “Musgos”. Assim, o microfitoplâncton pode ser visto como um indicador de qualidade de água para o crescimento da dourada. Este estudo reforça a ideia de que os tanques de aquacultura não libertam no meio receptor excesso de nutrientes em excesso, mas sim organismos vivos que vão contribuir para a teia trófica desse meio receptor, uma vez que o microfitoplâncton será depois consumido por zooplâncton que, por sua vez, servirá de alimento aos peixes.
The purpose of the present study was the analysis of the growth of Gilthead Seabream (Sparus aurata) in two tanks with areas and distinct strategies of production, in different zones of the estuary, as well as the analysis of a possible interaction between the growth of Gilthead Seabream and the microphytoplankton communities in the tanks. This study took place between November of 2006 and August of 2007, in two semi-intensive aquaculturess, located in the estuary of Sado. The samples for the analysis of microphytoplankton had been collected inside the tanks and in the estuary, in the zone of water captation. For the study of the growth of the Gilthead Seabream 100 fishes were captured and weighed in different months. It was verified that the strategies production of Gilthead Seabream are different in the two aquacultures, being that on "Musgos" it bases more in the balance with the ecosystem, presenting lower taxes of Gilthead Seabream growth and most constant one, always folloied by a microphytoplankton abundance. However in "Outro Mar" exists a bigger manipulation of the system, leading to biggest taxes of Gilthead Seabream growth, but to a weak microphytoplankton abundance inside the tank. There weren't differences in the microphytoplankton abundance between the two sites of the Sado estuary. However, in the carried through analysis of the abundance in the tanks significant differences had been observed between them. It was verified, that exists a relation between the growth rates of Gilthead Seabream and the growth of microphytoplankton “Musgos”. Thus, microphytoplankton can be seen as a pointer of quality of water for the growth of the Gilthead Seabream. This study strengthens the idea that the tanks of aquaculture do not release in the estuary excess of nutrients, but livings organisms that contribute for the trophic chain, once that phytoplankton later will be consumed by zooplankton that, in turn, it will serve of food for the fish.
Descrição: Dissertação de Mestrado, Biologia Marinha, Especialização em Aquacultura e Pescas, Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente, Universidade do Algarve, 2008
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/398
Designação: Mestrado em Biologia Marinha, Especialização em Aquacultura e Pescas
Aparece nas colecções:UA01-Teses



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.