Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/4812
Título: Vanádio: efeitos terapêuticos
Autor: Silva, Dina
Orientador: Aureliano, M.
Palavras-chave: Vanádio
Medicina
Data de Defesa: 2011
Resumo: O vanádio foi descoberto em 1802, e hoje é estudado devido aos seus efeitos biológicos e fisiológicos. Por este motivo, tem sido aplicado em vários estudos bioquímicos, biológicos, toxicológicos e terapêuticos, revelando inúmeras propriedades biomédicas e efeitos terapêuticos. Os seus efeitos biológicos são variados e controversos pois apresenta uma química bastante variada e extremamente complexa. Este elemento é conhecido por apresentar efeitos tóxicos, contudo, possui vários efeitos benéficos, sendo que existem seres vivos para os quais os seus compostos são essenciais ao organismo. Como agente terapêutico, tem acções como: antidiabético, anticancerígeno e reversão da resistência de microrganismos a drogas. O efeito terapêutico que tem sido mais descrito é a sua capacidade insulinomimética, pois verificou-se que promove o aumento de acumulação de glicose, a diminuição da lipólise, entre outros efeitos. A população com diabetes constitui actualmente cerca de 150 milhões de pessoas no mundo e a OMS prevê a duplicação deste número por volta de 2025, sendo por isso considerada “A doença do século XXI”. A diabetes é uma síndrome caracterizada por hiperglicemia devido a uma deficiência absoluta/relativa e/ou resistência à insulina e, pode ser classificada em diabetes tipo 1 e diabetes tipo 2. Actualmente não existe cura para a diabetes, por isso, a investigação nesta patologia constitui um esforço mundial. O mecanismo de acção de vanádio, como insulinomimético, ainda não foi totalmente elucidado, embora sendo reconhecido que o seu modo de acção passe pela inibição das PTPs (Protein tyrosine phosphatase). Contudo, recentemente surgiram outros possíveis mecanismos de actuação, dependentes ou independentes da acção de insulina. Uma vez que a utilização de compostos de vanádio exerce uma acção terapêutica eficiente, vários novos complexos têm sido sintetizados e testados na sua acção antidiabética como na sua acção anticancerígena. Estudos in vivo, em animais e humanos, mostraram o efeito insulinomimético de vanádio e dos seus compostos. Até ao presente, o estudo de vanádio e a investigação dos seus efeitos biológicos e terapêuticos, já conta com mais de 100 anos de experiências. No entanto, o mecanismo intracelular exacto e/ou mediadores envolvidos nas acções do vanádio ainda não estão totalmente elucidados. Ainda assim, o interesse no seu valor terapêutico tem vindo a aumentar e as perspectivas futuras apontam para a grande aplicação no tratamento de diabetes, através do estudo dos efeitos de novos complexos com maior potência, maior especificidade e menor toxicidade.
Descrição: Dissertação lic., Ciências Biomédicas, Departamento de Ciências Biomédicas e Medicina da Universidade do Algarve, 2011
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/4812
Aparece nas colecções:FCT1-Teses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dina_Rochate_CBM_2011_monografia_Julho.pdf1,39 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.