Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/4897
Título: Metais na bioquímica e na medicina
Autor: Aureliano, M.
Palavras-chave: Metais
Medicina
Data: 2014
Resumo: A Bioquímica ou Química da Vida representa uma ciência interdisciplinar que utiliza estratégias e métodos de todas as Ciências Exactas e Naturais. Nos últimos 10 anos, catorze prémios Nobel da Química, Fisiologia e Medicina foram atribuídos na área da Bioquímica o que reflecte a importância desta área de conhecimento nas Sociedades contemporâneas. A Bioquímica não se reduz apenas ao estudo dos compostos orgânicos, tais como os açúcares, lipidos ou proteínas mas também ao estudo da função de iões metálicos como por exemplo o Ca2+, Na+ ou Fe2+ que estão envolvidos em processos biológicos essenciais, tais como a contracção muscular, a transmissão do impulso nervoso, a mineralização do tecido ósseo ou o transporte de oxigénio. Consequentemente, foram vários os Nobel atribuídos a estudos envolvendo a Bioquímica de metais. Os seres vivos aprenderam a utilizar vários elementos metálicos, como os agregados ferro-enxofre (da pirite), para fazerem parte de proteínas (as metaloproteínas) que catalizam reacções químicas que ocorrem nas células, tornandose assim indispensáveis. Outras metaloproteínas incluem metais tais como cobre, Cu e zinco, Zn (dismutase do superóxido), molibdénio, Mo, (nitrogenase), vanádio, V, (peroxidases) que são igualmente essenciais para a Química da Vida. Além das biomoléculas (proteínas, Ácidos nucleicos, glicogénio), as pequenas moléculas são também necessárias para a homeostasia celular, por exemplo os iões carbonato e os iões fosfato, responsáveis pela estabilização de pH fisiológico (próximo de 7.0) ou os antioxidantes que previnem os efeitos do stress celular. Mas, a molécula mais importante ainda é a molécula de ATP (Á-tê-pês é a conta que Deus fez), a moeda de troca energética para todos os processos celulares. Por dia, um Homo sapiens com cerca de 70 kg produz cerca de 700 kg de ATP. Dá para acreditar? Tudo, ou quase tudo, é reciclado no euro Bioquímico: o ATP! O magnésio forma complexos com o ATP sendo o MgATP o cofactor de muitas enzimas, por exemplo a miosina. Neste caso, a falta de magnésio induz brecas pois o músculo não pode relaxar, sendo que neste caso a miosina mantêm-se ligada ao filamento de actina. O cálcio e a calciómica, o lítio como antidepressivo, o vanádio como antidiabético, são exemplos da importância dos metais na biologia e na medicina.
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/4897
Aparece nas colecções:FCT4-Vários

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
MetaisBioquimica&MedicinaEquipaUAlg_2014.pdf69,43 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.