Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/514
Título: Efeito dos hidrocarbonetos policíclicos aromáticos, dos policlorobifenis e de Vibrio alginolyticus no sistema imunitário do mexilhão do Mediterrâneo, Mytilus galloprovincialis (Lamarck, 1819)
Autor: Afonso, Mafalda Raquel Vitorino
Orientador: Silva, Rui Cabral e
Palavras-chave: Aquacultura
Mexilhão
Poluição
Sistema imunitário
Data de Defesa: 2008
Resumo: O aumento da poluição e a existência de bactérias no ambiente marinho são dois problemas que têm vindo a crescer ao longo das décadas e que se encontram associados a episódios de mortalidade e a alterações no sistema imunitário de diferentes invertebrados marinhos. A produção de mexilhão do Mediterrâneo, Mytilus galloprovincialis, na costa Galega tem uma grande importância económica, no entanto este cultivo encontra-se ameaçado. A ocorrência de episódios de marés negras associados ao elevado tráfego marítimo são as principais ameaças ao cultivo de mexilhão, caracteristicas que se relacionam com a capacidade que estes têm em acumular grandes concentrações de contaminantes e patógenos. Este trabalho teve como objectivo estudar o efeito dos PAH e PCBs no sistema imunitário de exemplares de Mytilus galloprovincialis e observar o efeito da exposição aos contaminantes em animais infectados e não infectados com Vibrio alginolyticus expostos a contaminantes. Realizaram-se tratamentos in vitro e in vivo com distintas concentrações de PAH (Fenantreno e Benzo[a]pyreno) e PCB a tempos distintos para determinar a produção de espécies reactivas de oxigénio (ROS), de radicais de azoto (NO) e a capacidade fagocítica dos hemócitos de mexilhão. A produção de ROS foi determinada a partir da medição da resposta quimioluminescente (Ql), a produção de NO através da reacção colorimétrica de Griess (Green et al. 1982) e para a capacidade fagocítica utilizou-se a citometria de fluxo. Utilizaram-se juvenis de mexilhão com o objectivo de determinar a taxa de mortalidade nas seguintes condições: foram expostos sete dias a contaminantes e dez dias a contaminantes e a uma infecção experimental. Os resultados obtidos no trabalho mostram que os mecanismos do sistema imunitário estudados e a ocorrência de doenças infecciosas causadas por bactérias estão dependentes da concentração, do tempo de exposição e das características de cada contaminante. Apesar do sistema imunitário dos exemplares de Mytilus galloprovincialis se encontrar debilitado não se registaram taxas de mortalidade significativa, o que faz pensar que estes já ganharam resistência a este tipo de contaminantes e que os mecanismos deste sistema são eficazes.
Descrição: Dissertação de mest., Biologia Marinha, Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente, Univ. do Algarve, 2008
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/514
Designação: Mestrado em Biologia Marinha. Especialização em Pescas e Aquacultura
Aparece nas colecções:UA01-Teses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese Mestrado.pdf527,32 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.