Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/519
Título: Maturidade vocacional e auto-estima em adolescentes institucionalizados
um estudo de caso
Autor: Rodrigues, Vânia Lara Lucas
Orientador: Sousa, Carolina
Palavras-chave: Auto-estima
Adolescentes
Necessidades educativas especiais
Desenvolvimento vocacional
Adolescentes institucionalizados
Data de Defesa: 2009
Resumo: O presente estudo procura analisar a problemática da maturidade vocacional e auto-estima ao nível dos adolescentes institucionalizados. Neste sentido, resumem-se os modelos conceptuais mais significativos no âmbito da maturidade vocacional e auto-estima, atendendo-se, em particular, à definição de ambos os conceitos. Apresentam-se, também, estudos relevantes, no contexto desta investigação, realizados por vários autores em diversos países que suportam a problemática em estudo. Exploram-se diferentes objectivos relativos à influência do género sexual e da idade/nível de escolaridade na maturidade vocacional e auto-estima, através da realização de uma entrevista semi-directiva e da aplicação de dois inquéritos por questionários (Inventário de Desenvolvimento Vocacional, adaptação portuguesa de Ferreira Marques e Luís Caeiro, do Career Development Inventory de Donald Super e Inventário da Auto-Estima, adaptação portuguesa de Isabel Janeiro, do Self-Esteem Inventory de Coopersmith) a uma amostra constituída por seis adolescentes: quatro do sexo feminino (matriculados, respectivamente, no 9º, 10º, 11º e 12º ano de escolaridade), que estão inseridos numa instituição do distrito de Faro e dois do sexo masculino (inscritos no 11º e 12º anos de escolaridade), que habitam uma instituição do distrito de Lisboa. Os resultados obtidos revelam que, de forma geral, as atitudes de planeamento e exploração de carreira acrescem com o nível de escolaridade dos sujeitos, sendo, igualmente, influenciadas pelo género sexual. Neste contexto, verifica-se que o sexo masculino apresenta um maior desenvolvimento das atitudes de planeamento de carreira, enquanto as raparigas ostentam maior desenvolvimento das atitudes de exploração de carreira. No mesmo sentido, também a auto-estima parece progredir, em termos globais, com o ano de escolaridade, sendo, igualmente, influenciada pelo género sexual. Neste âmbito, constata-se que o sexo feminino apresenta resultados superiores no domínio escolar (principalmente no final da adolescência) e social, enquanto o género masculino regista valores superiores ao nível da auto-estima geral.
The present study aims to analyse the vocational maturity problem and also the self-esteem of the adolescents that are in institutions. This way, the most significant conceptual models in the field of vocational maturity and self-esteem are summarized, focusing on the definition of both concepts. We also present essential studies, in the context of this investigation, developed by various authors in several countries that support the problem in study. We explore different aims, related to the sexual gender and the age/school level influence in vocational maturity and self-esteem, through a semi-directive interview and the aplication of two questionnaires (Vocational Development Inventory, Portuguese adaptation by Ferreira Marques and Luís Caeiro, of Donald Super’s Career Development Inventory and Self- Esteem Inventory, Portuguese adaptation by Isabel Janeiro, of Coopersmith’s Self- Esteem Inventory) to a sample of six adolescents: four girls/ females (attending to the 9th, 10th, 11th and 12th grade), that are enrolled in an institution in Faro area, and two males (attending to the 11th and the 12th grade), that live in an institution in Lisbon area. The results show that, in a general way, the career planning and exploration attitudes increase with the person’s school level, and it is, equally, influenced by the sexual gender. In that context, we can see that the males present a bigger development of career planning attitudes, while the females present a superior development of career exploration attitudes. In the same way, self-esteem also seems to increase, generally, with the school level, and it is equally influenced by the sexual gender. As a result, we can see that the feminine gender presents better results in school (mainly at the end of adolescence) and in social area, while the masculine gender has better results in self-esteem.
Descrição: Dissertação de Mestrado, Psicologia da Educação, Especialização em Necessidades Educativas Especiais, Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Universidade do Algarve, 2009
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/519
Designação: Mestrado em Psicologia da Educação, Especialização em Necessidades Educativas Especiais
Aparece nas colecções:UA01-Teses



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.