Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/5557
Título: Economias dominantes e relações periféricas. a proto-industrialização do Algarve (1810-1852) : ideias síntese.
Autor: Mesquita, José Carlos Vilhena
Palavras-chave: Indústria no Algarve
Liberalismo e industrialização
História económica do Algarve
Bancos rurais
Data: 26-Ago-2005
Editora: Universidade do Algarve. Faculdade de Economia
Resumo: Na Europa da primeira metade do séc. XIX a industrialização traduzia-se em duas palavras: progresso e riqueza. O capitalismo, iniciado com a globalização mercantil,entrou numa nova fase, mais funcional e orgânica, estribada num forte investimento de capitais, no aumento da produção, na circulação de bens e mercadorias, no consumo e na popularização do crédito. A banca e as instituições financeiras tornaram-se no sector motor de uma grande revolução socioeconómica, numa evidente continuidade do processo de desenvolvimento e de incremento tecnológico iniciado na Grã-Bretanha havia mais de um século. A Inglaterra exercia no mundo ocidental um sistema de economia dominante, baseada nas relações de dependência dos mercados periféricos. O nosso país,desde o Tratado de Windsor firmado no séc. XIV, tornara-se numa espécie de paradigma dessas relações de subordinação político-económica.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/5557
Aparece nas colecções:UED01-Edições UAlg

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Mesquita_Economias.pdf1,12 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.