Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/559
Título: Alterações histopatológicas e indução de CYP1A em juvenis de Sparus aurata expostos a benzo(a)pireno e naftaleno
Autor: Caldeira, Carina Cardoso
Orientador: Dinis, Maria Teresa
Delgado, Juan Bosco Ortiz
Palavras-chave: Teses
Dourada
Sparus aurata
Piscicultura
Histopatologia
Data de Defesa: 2009
Resumo: O objectivo do presente estudo foi a determinação da resposta histopatológica e a indução de CYP1A no fígado, brânquias, rim e tracto gastrointestinal de juvenis de dourada, Sparus aurata, expostos a benzo(a)pireno (B[a]P) e naftaleno (N[a]P). Os juvenis de dourada foram expostos durante 15 dias a diferentes concentrações subletais de PAHs (B[a]P e N[a]P). As amostragens do tratamento controlo e dos tratamentos com os contaminantes foram efectuadas após 24 e 72 horas (curto período de exposição) e 5 e 15 dias (longo período de exposição). A resposta histopatológica foi analisada através das técnicas clássicas de coloração morfológica. A distribuição celular da proteína CYP1A foi determinada pelo método imunohistoquímico, usando como anticorpo primário o anticorpo monoclonal C10-7 e como anticorpo secundário o anticorpo anti-rato IgG biotinilado. Conjuntamente, a distribuição de carbohidratos e proteínas foi avaliada através de métodos histoquímicos clássicos. Alterações histopatológicas foram localizadas nos órgãos alvo dos exemplares expostos a ambos os contaminantes. Nos tratamentos com B[a]P e N[a]P, as lesões histopatológicas apresentaram dependência com a concentração e o tempo de exposição, indicando maior índice de lesão nos peixes amostrados no final do período experimental (15 dias). As lesões histopatológicas foram mais pronunciadas para N[a]P do que B[a]P no final do período de exposição. Contrariamente, os valores de CYP1A foram superiores para B[a]P no mesmo período experimental, corroborando o papel protector de CYP1A através do metabolismo de compostos tóxicos. O principal local de indução de CYP1A foi o endotélio vascular. Além disso, os resultados revelaram elevados níveis de indução de CYP1A em três órgãos alvo (fígado, brânquias e rins). Este estudo confirma a teoria do fígado ser o principal órgão metabólico nos peixes e, apresenta evidências de uma substâncial participação das brânquias e rins no metabolismo dos xenobióticos.
Descrição: Dissertação mest., Aquacultura e Pescas, Universidade do Algarve, 2009
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/559
Designação: Mestrado em Aquacultura e Pescas. Especialização em Aquacultura
Aparece nas colecções:UA01-Teses



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.