Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/5590
Título: Avaliação da dose em recém-nascidos numa unidade neonatal
Autor: Ribeiro, Luís
Rodrigues, Sónia
Sousa, Patrick
Abrantes, António
Sousa, Liliana
Almeida, Rui
Azevedo, Kevin
Pinheiro, João
Palavras-chave: Radiação ionizante
Unidade de neonatologia
Níveis de referência de diagnóstico
Dose à entrada da pele
Data: Out-2014
Editora: Instituto Português da Qualidade (IPQ) e Comissão Setorial para a Saúde CS/09
Resumo: Objetivo: Avaliar a dose a que estão sujeitos os recém-nascidos internados numa Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais (UCIN) durante a realização de radiografias em incidência AP ao tórax e comparar os valores obtidos da Dose à Entrada da Pele (DEP), tanto com os recomendados internacionalmente para os recém-nascidos como com os resultados de estudos anteriores. Pretende-se também verificar se as doses utilizadas se encontram abaixo dos valores recomendados e se os pacientes se apresentam ou não em risco face às radiações ionizantes a que foram submetidos. Metodologia: Foi utilizado um equipamento de radiologia convencional móvel Siemens Mobilett XP Hybrid, uma Unidade base Unfors Xi com detetor Xi R/F e uma incubadora Dräger Incubator 8000 SC. Previamente ao início do estudo foi realizado o controlo de qualidade do equipamento inicialmente referido utilizando o detetor Unfors Xi. Realizaram-se exposições nas quais foram medidas a energia do feixe primário (kVp), Débito de Dose (Do) e a Exposição (X), a uma DFF de 1 metro. Foram também realizadas medições com uma DFF de 1m, com e sem incubadora, de modo a determinar a percentagem de atenuação do feixe de raios-x, exercida pelo material de polimetil-metacrilato (PMMA) com 5mm de espessura, que reveste a incubadora. Durante 3 meses foram recolhidos e registados os dados relativos aos parâmetros de exposição (kVp e mAs) utilizados na UCIN na realização de 24 radiografias ao tórax, com o intuito de calcular a sua média e o percentil 75, para determinação da DEP em função da metodologia selecionada. Foi também efetuada uma pesquisa que englobou um período temporal de 16 meses para recolher dados empíricos relativos ao número de crianças internadas na UCIN que realizaram exames radiológicos e outras informações como o peso corporal, tempo de gestação, dias de vida aquando da realização do exame imagiológico, tempo de internamento e a indicação clínica. Os recém-nascidos foram divididos em 3 grupos distintos consoante o seu peso: [0-1000g], ]1000-2000g] e [>2000g]. Resultados: Ao longo dos 16 meses foram realizadas 182 incidências AP do Tórax num total de 89 crianças, 68 das quais eram prematuras e 21 não prematuras (>37 semanas de gestação). Cada criança realizou, em média, cerca de duas radiografias ao tórax. A média total de peso foi de 2009,89g, sabendo-se que cerca de 75% das crianças apresentavam um peso inferior a 2.5 Kg. O valor mínimo registado foi de 675g e o máximo de 4730g. Aproximadamente 75% das crianças tinham menos de 48 horas de vida aquando da realização do exame imagiológico. Os valores de DEP resultantes da média foram de 28,81 µGy para uma dff de 100 cm e 14,53 µGy para uma dff de 128 cm, e os resultantes do percentil 75 de 23,35 µGy para uma dff de 100 cm e 14,25 µGy para uma dff de 128 cm. Conclusão: De acordo com o objetivo preconizado, optou-se por utilizar o cenário mais pessimista, ou seja, os valores de DEP (média e percentil 75) obtidos a 100cm. Ao comparar a DEP do percentil 75 (23,35 µGy), concluiu-se que estes valores não excederam os limites exigidos de 80 µGy para a European Commission (1996) nem os 50 µGy segundo a National Radiological Protection Board (2000). Relativamente à comparação com os resultados de outros estudos, utilizaram-se os valores da DEP da média 28,81 µGy. Verificou-se que estes valores apenas ultrapassaram os resultados obtidos no estudo “Radiology in the neonatal intensive care unit: dose reduction and image quality” que teve uma DEP de 20.0 µGy. Assim, a DEP nos recém-nascidos está dependente de vários fatores entre os quais, as variações dos parâmetros técnicos utilizados, a distância foco-filme e a atenuação do feixe de raios-x exercida pelo material que reveste a incubadora.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/5590
Versão do Editor: http://www1.ipq.pt/PT/Site/Noticias/Documents/Programa_III_Encontro_Metrologia_na_Saude.pdf
Aparece nas colecções:ESS2-Artigos (em revistas ou actas indexadas)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
2- Avaliação de Dose em Recém-nascidos numa Unidade Neonatal_resumo_Metrologia na Saúde.pdf109,78 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.