Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/6800
Título: Recreational shore fishing in southern Portugal: biological and socio-economic aspects and perspectives for management
Autor: Veiga, Pedro Filipe Duarte Alves da
Orientador: Erzini, Karim
Gonçalves, Jorge M.S.
Palavras-chave: Pescas
Pesca recreativa
Impacto ambiental
Gestão
Esparídeos
Portugal
Dieta mediterrânica
Data de Defesa: 2012
Resumo: Although overfishing is a concern for many fish stocks, it was for a long time only associated with commercial fishing exploitation, with less or no attention being given to the recreational fisheries. Recent research has shown however that the impact of recreational fishing on particular species can be considerable, and that the recreational harvest needs to be taken into account if fisheries are to be accurately assessed and effectively managed. In Portugal, the first recreational fishing regulations were only recently implemented. However, mirroring other European countries, regulations lacked scientific support, and specific knowledge of the activity was limited to a few studies with limited coverage. This thesis aimed to characterize the biological and socioeconomic aspects of the recreational shore angling activity in southern Portugal, to investigate whether the regulations in place were adequate and effective, and to provide recommendations for improved management and conservation of the inshore fisheries resources. A combined aerial-roving survey was conducted to gather data on fishing effort, catch, fishing trips and socioeconomic aspects (including anglers’ perceptions of regulations) of the recreational angling activity. The analysis of anglers’ catches suggested that compliance with daily bag limits was high, with less than 0.5% of creels exceeding the 10 kg angler-1 day-1 bag limit. Overall, 11.5% of the retained fishes were undersized, but non-compliance with minimum size limits was found to be high for some species (e.g. seabass, 73% undersized). In terms of the impact of recreational shore angling, the total estimated catches corresponded to less than 1% of the commercial landings for the same period (shared species). However, shore angling catches for white sea bream (Diplodus sargus) were found to be considerable, corresponding to 65% of the commercial landings (39.4% of total catch). In terms of anglers’ perceptions about the recreational fishing regulations in Portugal, the present study has shown that the majority of anglers accepted the existence of some kind of SRF regulations, but in general there was a partial or total disagreement with the recreational fishing restrictions recently put in place. Most anglers perceived themselves as not being involved in the decision-making process and claimed that some restrictions lacked a meaningful rationale (e.g. prohibition of fishing from piers/jetties). Fishers’ awareness with regard to specific aspects of the restrictions (such as the rationale for minimum size limits) was found to be very limited. During the same period, catches from sport fishing competitions were examined to test for differences with the recreational activity in terms of catches, and evaluate long term trends in catch and mean size of fish. Catches of the sport fishing competitions were found to be different from those observed for recreational fishing, being dominated by different species (e.g. garfish, mullets), and suggesting different fishing strategies of the the two types of anglers. High percentages of undersized fish were observed to be captured (and retained) during the competitions (in particular seabass, with 100% undersized), probably as a result of a single allowable minimum size (AMS) of 15 cm for all species in use in competitions. Lastly, catch and release fishing experiments were carried out to assess post-release mortality of three recreationally important species: two banded sea bream Diplodus vulgaris; black sea bream Spondyliosoma cantharus; and gilthead sea bream Sparus aurata. Post-release mortalities were found to be low (0-12%). The main predictor of mortality for Sparus aurata was anatomical hooking location, with 63% of the fishes that died being deeply hooked. The results support the release of fish, either from mandatory (e.g. minimum landing sizes) or voluntary practices. In summary, this thesis has demonstrated that the impact of recreational fishing for particular species is significant and needs to be taken into account for more effective management and stock assessment purposes. It has also highlighted several management issues that should be addressed in order to promote more adequate regulations in the future and prevent noncompliance issues. A periodic monitoring of the recreational fishing activity including all fishing modes (i.e. spear fishing, boat, and shore angling) would also be beneficial to ensure a timely knowledge on the global recreational fishing activity and support future management actions.
O problema de sobrepesca que se tem assistido em muitas partes do globo foi, durante muito tempo, apenas associado à pesca comercial, com pouca ou nenhuma atenção dirigida à potencial contribuição da pesca recreativa. Estudos recentes têm demonstrado, no entanto, que o impacto da pesca recreativa em algumas espécies em particular pode ser considerável e que, como tal, avaliações e gestão de recursos que não incluam esta componete podem ser enviesadas e ineficazes na protecção dos recursos. Em Portugal, as primeiras medidas restritivas para a pesca recreativa só recentemente foram implementadas. No entanto, e à semelhança do que se verificou em outros países Europeus, as restrições careceram de suporte científico, dada a escassez de estudos em relação à actividade até ao momento. Este projecto, dirigido à pesca recreativa de costa (PRC) no sul e sudoeste de Portugal, teve como objectivos principais: 1) caracterizar a actividade nas suas vertentes biológica e socioeconómica; 2) avaliar a eficácia e a aceitação da legislação no que diz respeito às várias medidas restritivas; e 3) fazer recomendações que permitam uma melhor gestão e conservação dos recursos costeiros em Portugal. A caracterização da pesca recreativa de costa foi efectuada com recurso a duas metodologias complementares: 1) entrevistas nos locais de pesca, para obtenção de informação sobre as saídas de pesca (p.ex. capturas) e informação socioeconómica; e 2) levantamentos aéreos de distribuição de pescadores, para obtenção de dados de esforço de pesca. A análise das capturas dos pescadores indicou que, no geral, o cumprimento dos limites diários de pesca (10 kg pescador-1 dia-1) foi elevado, com apenas 0.5% dos pescadores entrevistados a excederem este limite. Em relação aos tamanhos mínimos de captura, verificou-se que apenas 11,5% dos peixes retidos pelos pescadores estavam abaixo do tamanho mínimo de desembarque estabelecido por lei. Não obstante, para algumas espécies como o robalo em particular, a percentagem de indivíduos abaixo do limite legal para espécie (36 cm) foi elevada (73%). A nível do impacto da pesca recreativa de costa, verificou-se que as capturas totais anuais estimadas representaram menos de 1% das quantidades desembarcadas pela pesca comercial, para o mesmo período e para espécies capturadas por ambos os tipos de pesca. Uma análise por espécie indicou no entanto que as capturas de sargo legítimo pela pesca recreativa de costa foram consideráveis, correspondendo a 65% dos valores comerciais desembarcados para a mesma espécie (39,4% das capturas totais). Em termos das opiniões dos pescadores em relação a legislação específica para a pesca recreativa, verificou-se que a maioria dos pescadores aceitava a existência de algum tipo de legislação, mas que em geral não concordava com as actuais restrições. Uma grande parte dos pescadores considerou que esta legislação tinha sido desenvolvida sem envolvimento dos mesmos, e que algumas das restrições (p.ex. proibição de pesca nos molhes) careciam de justificação fundamentada. Numa mesma fase foram também investigadas as competições de pesca desportiva de costa a decorrer no sul de Portugal, visando identificar diferenças com a vertente recreativa, e avaliar tendências de longo prazo nas capturas a partir de dados históricos. Verificou-se que em geral as competições de pesca desportiva eram diferentes das da pesca recreativa a nível do número de espécies capturadas e das espécies mais importantes nas capturas (no caso das competições: taínhas e peixe-agulha). Tal diferença atribuiu-se à possibilidade de uma estratégia diferente entre os dois tipos de pescadores relativamente às espécies-alvo. As competições de pesca desportiva foram também caracterizadas por grandes percentagens de espécimens abaixo do tamanho mínimo de desembarque (robalo em particular, 100% abaixo do limite), possivelmente como resultado da utilização de um único tamanho mínimo de 15 cm para todas as espécies. No último estudo, realizaram-se pescas experimentais para testar as taxas de mortalidade póslibertação de três espécies identificadas como importantes na pesca recreativa de costa do sul de Portugal: Safia Diplodus vulgaris; Choupa Spondyliosoma cantharus; e Dourada Sparus aurata. As taxas de mortalidade observadas foram em geral baixas (0-12%). A análise por modelos aditivos generalizados indicou a localização do anzol como o principal predictor da mortalidade, sendo que em 63% das douradas que morreram o anzol se encontrava profundamente alojado no tubo digestivo (estômago, esófago). Estes resultados suportam a decisão de libertar o peixe capturado, voluntariamente ou por medidas restritivas legais. Em suma, neste projecto demonstrou-se que o impacto da pesca recreativa de costa em algumas espécies é significativo, em particular o sargo, devendo ser tido em conta para efeitos de avaliação de gestão de recursos. Foram também realçados vários problemas com a corrente legislação que deveriam ser devidamente analisados de forma a promover medidas de gestão mais adequadas e prevenir futuras situações de incumprimento da lei. Como recomendação final, considera-se que uma monitorização periódica da pesca recreativa em Portugal, nas suas várias modalidades (pesca submarina, pesca embarcada e pesca de costa) e dimensões (biológica e socioeconómica), seria benéfica para um acompanhamento adequado da dinâmica da actividade, e suporte de futuras medidas de gestão.
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/6800
Designação: Doutoramento em Ciências da Terra, do Mar e do Ambiente, ramo de Ciências e Tecnologias das Pescas
Aparece nas colecções:UA01-Teses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Thesis_PVeiga_CD.pdf22,15 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.