Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/6850
Título: O criador de fantasmas: representações do mundo na poesia de João Lúcio
Autor: Prudêncio, Vasco Barbosa
Orientador: Marques, João Minhoto
Palavras-chave: Literatura portuguesa
Criação literária
Poesia
Estudos literários
Sujeito
Modernidade
Data de Defesa: 2013
Resumo: A presente proposta de trabalho assenta na leitura da obra poética de João Lúcio (1880- 1918), constituída essencialmente pelas obras Descendo (1901) , O Meu Algarve (1905), Na Asa do Sonho (1913) e Espalhando Fantasmas (1921), a partir de uma questão transversal a toda a sua poesia: a permanente problematização do eu poético face ao mundo que o rodeia. Tal noção é o que parece unificar a heterogeneidade da obra publicada – desde a permanente e deliberada busca de um sentido no mundo em Descendo, passando pela assumida defesa de um ponto de vista pessoal do espaço em O Meu Algarve, até a um redimensionar do mundo circundante a partir da revalorização de uma dimensão onírica em Na Asa do Sonho. A relação, ora harmoniosa, ora tensa, é resolvida no último poema publicado em vida pelo poeta, «Espalhando Fantasmas», que determina a figura do sujeito/poeta como o efetivo criador do mundo em que vive. Esta perspetiva determina um pleno reconhecimento da importância da poesia na criação do real. É a partir da Arte que o sujeito entende e se entende no mundo, o que determina, no trabalho literário do poeta, a poesia como o paradigma da representação do real.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/6850
Designação: Doutoramento em Literatura
Aparece nas colecções:UA01-Teses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese 2013 FINAL CD.pdf72,77 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.