Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/6869
Título: Influência da farmacogenómica na terapêutica da tuberculose
Autor: Azevedo, Adão Eliano Costa
Orientador: Marques, Vera Ribeiro
Palavras-chave: Ciências farmacêuticas
Tuberculose
Farmacogenómica
Polimorfismos
Data de Defesa: 2013
Resumo: A tuberculose continua a ser um problema de saúde global, causando problemas de saúde a milhões de pessoas a cada ano e é classificada como a segunda principal causa de morte por doença infeciosa em todo o mundo, depois do VIH. As últimas estimativas são de que ocorreram quase 9 milhões de novos casos em 2011 e 1,4 milhões de mortes por tuberculose (990000 sem associação e 430000 associadas ao VIH). Esta é uma realidade, apesar da existência de tratamento que poderia curar a maioria dos casos de TB, e que, em cerca de 90% dos casos, está disponível desde os anos 80. Portugal continua entre os países de incidência intermédia de tuberculose, o único na Europa Ocidental. Entre os casos de MDR-TB, tem sido muito elevada a proporção de casos XDR-TB, a forma mais grave, constituindo um problema de saúde pública. Do esquema básico de tratamento, a rifampicina, isoniazida, pirazinamida e etambutol são todos potencialmente hepatotóxicos. Deste modo, é importante conhecer melhor o metabolismo dos fármacos já existentes, principalmente os de primeira linha, a fim de reduzir a toxicidade associada. Um fármaco produz diferentes respostas em diferentes pessoas. O perfil genético é responsável por muitas dessas variações. Estima-se que a genética explique, até 30% dos casos, as diferenças individuais no metabolismo e resposta aos fármacos. Neste trabalho serão abordados alguns estudos que demonstram a influência de polimorfismos na terapêutica da tuberculose, direcionada para a população caucasiana/ portuguesa, e a genotipagem de determinados enzimas que poderão trazer benefícios não só na diminuição das complicações e dos efeitos colaterais, como na redução dos atendimentos e internamentos. Assim, além de potenciar o aumento da adesão terapêutica, este conhecimento possibilita a aplicação a outras patologias, uma vez que o perfil genético do indivíduo pode determinar a eficácia e toxicidade de vários medicamentos.
Descrição: Dissertação de mestrado, Ciências Farmacêuticas, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade do Algarve, 2013
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/6869
Designação: Mestrado em Ciências Farmacêuticas
Aparece nas colecções:UA01-Teses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Monografia Completa.pdf2,08 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.