Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/6914
Título: O processo de transição da vida ativa para a reforma no concelho de Lagoa - Algarve
Autor: Generoso, Sandra Patrícia dos Santos Rodrigues
Orientador: Almeida, António Carlos Pestana Fragoso de
Ribeiro, Carlos Miguel
Palavras-chave: Educação social
Envelhecimento
Transição
Reforma
Histórias de vida
Identidade
Data de Defesa: 2013
Resumo: Nesta investigação, abordo o envelhecimento com enfoque no processo de transição para a reforma, abarcando a passagem para novos padrões institucionais dependentes do habitus no qual os indivíduos se movimentam. A (re)construção de identidades, está subjacente às trajetórias de vida, à capacidade criativa de agência humana, sob influência dos contextos histórico, social e cultural. Recorri à metodologia qualitativa, num processo de investigação-ação, alicerçada no paradigma interpretativo. Este primeiro ciclo da investigação provocou uma autorreflexão da prática profissional e envolveu 157 adultos do concelho de Lagoa dos 60 aos 70 anos que participaram num inquérito por questionário, complementado por quatro entrevistas de episódio. Os resultados indicam que a transição para a reforma não é preparada, originando situações de ansiedade na sequência de um conjunto de mudanças estruturais. Não se encontra instituído um apoio formal ou informal na planificação da reforma. Identificou-se dois perfis de transição, um quando a reforma não é programada e é involuntária, com uma forte valorização da atividade profissional pelos sujeitos, que gera um período inicial de transição mais difícil. Pelo contrário, menor identificação profissional e uma reforma voluntária com preparação prévia, facilita um período inicial mais satisfatório. A satisfação com a reforma é maior quando os sujeitos encontram atividades de ocupação do tempo do nãotrabalho na comunidade e/ou desenvolvem interesses pessoais. Associam a reforma positivamente ao tempo do descanso, do ócio e à oportunidade de escolhas. Os inquiridos não valorizam a continuidade de atividades remuneradas, a prática de voluntariado é quase inexistente. As narrativas indicam que durante o processo de transição os sujeitos recorrem a estratégias compensatórias de ação criativa, para (re)construir identidades e atenuar constrangimentos. Através de uma aprendizagem biográfica, replanificam a sua ação com base nas vivências de uma trajetória de vida passada, o que facilita o processo de transição e um envelhecimento mais bem-sucedido.
Descrição: Dissertação de mestrado, Educação Social, Escola Superior de Educação e Comunicação, Universidade do Algarve, 2013
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/6914
Designação: Mestrado em Educação Social
Aparece nas colecções:UA01-Teses



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.