Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/694
Título: Percepção de saúde e qualidade de vida dos enfermeiros
Autor: Gonçalves, Jorge Daniel Amaro
Orientador: Faria, Maria Cristina Campos de Sousa
Palavras-chave: Teses
Psicologia
Saúde
Percepção
Qualidade da vida
Enfermagem
Data de Defesa: 2008
Resumo: Falar de Saúde e Qualidade de Vida (QV) assume uma importância cada vez mais relevante nos dias de hoje, pela crescente competitividade e exigências ao nível das organizações, bem como pela vida apressada, rotineira e por vezes irreflectida que move as pessoas e degrada o comportamento humano. São diversos os desafios que marcam a vivência da profissão de Enfermagem. Estes prendem-se com aspectos de vária ordem: desde a exigência técnica e cientifica própria da profissão até às mudanças próprias das alterações da sociedade, que se relacionam com temas como a carreira profissional ou os vínculos laborais. O presente trabalho visa compreender a Percepção de Saúde e QV dos Enfermeiros. Tendo por base um estudo quantitativo, analisámos a influência de diversas variáveis (idade, sexo, estado civil, estudos, horas de trabalho, local de trabalho, vínculo laboral e estado de doença) a nível da Percepção de Saúde e QV. Trata-se de um estudo de natureza quantitativo, descritivo, transversal e correlacional, realizado no Centro Hospitalar do Baixo Alentejo, EPE.- Hospital José Joaquim Fernandes de Beja e Sub-região de Saúde de Beja, com uma amostra de 146 enfermeiros. Utilizamos o Questionário de Saúde Geral (Goldberg, adaptado por Faria, 1999) e o questionário WHOQOL-bref (Organização Mundial de Saúde, adaptado por Vaz Serra, Canavarro e outros colaboradores, 2006) para avaliar Percepção de Saúde e QV. Os instrumentos utilizados são de auto-resposta. Os participantes deste estudo são adultos jovens, com média de idades de 36,6 anos, na sua maioria do sexo feminino (82%), com formação académica ao nível universitário (70%), casados (58%), que trabalham em contexto hospitalar (63%), com média de 13,1 anos de serviço, funcionários públicos (60%), com horário de 35 horas semanais (57%). A análise dos resultados permitiu observar que os enfermeiros, têm uma percepção satisfatória de saúde e qualidade de vida. Os resultados revelaram Percepção de Saúde e Qualidade de Vida dos Enfermeiros 6 diferenças ao nível das variáveis sócio-demográficas, das quais destacamos o sexo, estado civil, o vínculo laboral sobre a percepção de saúde e QV. Outro objectivo do nosso estudo foi perceber se existiam diferenças a nível da percepção de saúde e qualidade de vida entre os enfermeiros que trabalham em contexto hospitalar e em contexto de cuidados de saúde primários, tendo a análise dos resultados levado a concluir que os enfermeiros de ambos os contextos apresentam uma Percepção de Saúde e QV satisfatórias e sem diferenças significativas.
Descrição: Dissertação mest., Psicologia, Universidade do Algarve, 2008
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/694
Designação: Mestrado em Psicologia. Especialização em Psicologia da Saúde
Aparece nas colecções:UA01-Teses



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.