Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/7281
Título: Biomarcadores cardíacos no diagnóstico da síndrome coronária aguda
Autor: Bouwman, Maria Luísa Borges Batista
Orientador: Simões, Delminda
Palavras-chave: Ciência farmacêuticas
Doenças coronárias
Enfarte do miocárdio
Marcadores
Data de Defesa: 2014
Resumo: A cardiopatia isquémica (CI) é uma afeção na qual ocorre um suprimento inadequado de sangue e oxigénio para o miocárdio. A CI poder-se-á apresentar sob a forma de doença coronária estável crónica ou síndrome coronária aguda (SCA). A SCA engloba doentes que apresentam enfarte agudo do miocárdio (EM) com supradesnivelamento do segmento ST, EM sem supradesnivelamento do segmento ST e angina instável. O sintoma clássico de EM é a dor torácica constritiva, intensa, habitualmente localizada na região retrosternal, precordial ou epigástrica com irradiação para o pescoço, ombro e/ou braço esquerdo. No entanto, uma percentagem não negligenciável de doentes com EM não apresenta dor torácica, tendo um quadro clínico atípico com aumento de biomarcadores cardíacos. Os biomarcadores cardíacos são proteínas libertadas pelo miocárdio necrótico ou isquémico. Os níveis das diferentes proteínas libertadas variam de acordo com a sua localização intracelular, o seu peso molecular e os fluxos sanguíneos e linfáticos locais. A cinética de libertação destas proteínas tem importância para o diagnóstico, embora as estratégias de reperfusão urgentes no EM com supradesnivelamento do segmento ST, imponham que a decisão seja tomada, essencialmente baseada na apresentação clínica e no eletrocardiograma (ECG). Um marcador cardíaco ideal deve apresentar características de cardioespecificidade e sensibilidade, aparecer bastante cedo na circulação, permitindo a deteção precoce de EM; possuir uma semivida suficientemente longa que possibilite o diagnóstico tardio; apresentar aumentos que se relacionem com o prognóstico; ser doseado a partir de um método que seja facilmente adaptado à urgência com uma boa sensibilidade e precisão analíticas. O marcador mais próximo deste ideal é a troponina - isoformas T e I - sendo estas as atualmente consideradas como marcadores bioquímicos de referência para o diagnóstico de EM. O objetivo desta dissertação é fazer uma revisão da literatura de biomarcadores cardíacos no que diz respeito à sua estrutura, caraterísticas, métodos de doseamento, função e relevância clínica para o diagnóstico e prognóstico na SCA e na estratificação do risco de eventos cardíacos adversos.
Descrição: Dissertação de mestrado, Ciências Farmacêuticas, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade do Algarve, 2014
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/7281
Designação: Mestrado em Ciências Farmacêuticas
Aparece nas colecções:UA01-Teses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇAO Biomarcadores Cardíacos.pdf2,81 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.