Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/9935
Registo completo
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorFidalgo, João Pedro-
dc.contributor.advisorPinto, Rui Manuel Amaro-
dc.contributor.authorAlmeida, Catarina Cerqueira de-
dc.date.accessioned2017-09-12T16:27:41Z-
dc.date.available2017-09-12T16:27:41Z-
dc.date.issued2016-12-09-
dc.date.submitted2016-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10400.1/9935-
dc.descriptionDissertação de mestrado, Ciências Farmacêuticas, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade do Algarve, 2016-
dc.description.abstractCom uma prevalência global estimada em 5,29% e com um rácio rapaz/rapariga de 3:1, a Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção (PHDA), surge no panorama nacional e internacional como uma das mais comuns desordens neuro-comportamentais diagnosticadas na infância. Tendo sido referida pela primeira vez há mais de um século, esta é uma desordem muito particular devido às três características que apresenta – hiperatividade, impulsividade e inatenção – que se revelam nos padrões comportamentais do dia a dia e que levam em muitos casos a uma redução tanto do desempenho educacional como da componente social, traduzindo-se em insucesso escolar, dificuldades de relacionamento com os colegas e nas relações com os adultos mais próximos (pais e professores).- Esta monografia aprofunda os mecanismos neurofisiológicos por detrás da patologia e conhecidos até ao momento, evidenciando a necessidade de diagnóstico precoce desta perturbação do foro neuro-comportamental. Estando normalmente associada a comorbilidades, o diagnóstico diferencial das mesmas é essencial, sendo atualmente possível na maioria dos casos através da terapêutica não-farmacológica e farmacológica controlar os sintomas major, apesar de se tratar de uma perturbação atualmente sem cura. Sendo utilizados fármacos desde uma idade jovem, é necessário compreender os benefícios que resultam da terapêutica e quais os efeitos adversos que desta podem surgir. Além disso, colocar-se-á em evidência todas as medidas que o farmacêutico pode tomar, enquanto principal agente do medicamento, no aconselhamento e posterior melhoria da qualidade de vida destes doentes e respetivas famílias.pt_PT
dc.language.isoporpt_PT
dc.rightsopenAccesspt_PT
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by/4.0/pt_PT
dc.subjectAlterações comportamentaispt_PT
dc.subjectDéfice de atençãopt_PT
dc.subjectImpulsividadept_PT
dc.subjectPerturbação de hiperatividadept_PT
dc.subjectTerapêutica farmacológicapt_PT
dc.titleAbordagem farmacológica da perturbação de hiperatividade e défice de atençãopt_PT
dc.typemasterThesispt_PT
thesis.degree.grantorUniversidade do Algarve, Faculdade de Ciências e Tecnologia-
thesis.degree.levelMestre-
thesis.degree.nameCiências Farmacêuticaspt_PT
dc.identifier.tid201707195pt_PT
dc.subject.fosDomínio/Área Científica::Ciências Médicas::Ciências da Saúdept_PT
Aparece nas colecções:UA01-Teses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação_Catarina Almeida_Abordagem Farmacológica da Perturbação de Hiperativi_20160929115207452.pdf1,92 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.