Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/1942
Registo completo
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorVieira, Luís Sérgio-
dc.contributor.authorVerbisck, Marilena Bestetti Gonçalves-
dc.date.accessioned2012-12-10T17:36:10Z-
dc.date.available2012-12-10T17:36:10Z-
dc.date.issued2010-
dc.identifier.other159.98 VER*Saú Cave-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10400.1/1942-
dc.descriptionDissertação de mest., Psicologia Clínica e da Saúde, Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Univ. do Algarve, 2010por
dc.description.abstractA transição para a reforma é um evento normativo do ciclo vital, no qual há uma susceptibilidade aumentada para o aparecimento de alterações psicológicas. Considerando que a percepção de saúde é um preditor de qualidade de vida, há interesse em conhecer de que forma é afectada pela reforma. Outrossim, o suporte social percebido e o bem-estar espiritual são constructos relevantes para compreender o processo de transição, considerando que podem ter efeito protector à saúde. Portanto, esta investigação delineou como principais objectivos: estudar a saúde subjectiva em pessoas durante sua transição à reforma; analisar as relações entre saúde subjectiva, suporte social percebido, bem-estar espiritual, e factores sócio-demográficos; verificar se o bem-estar espiritual exerce um papel mediador da influência do suporte social percebido e da transição para a reforma na percepção de saúde. A amostra foi constituída por 150 sujeitos, divididos em três grupos de igual dimensão (trabalhadores, reformados recentes e há mais tempo). Os instrumentos utilizados consistem em um questionário de dados sócio-demográficos e sobre a reforma, uma escala de avaliação da saúde subjectiva, o Questionário de Suporte Social, versão reduzida (SSQ6p), e o Questionário de Bem-estar Espiritual (SWBQp). Os resultados indicam que não há diferenças significativas entre os dois grupos de reformados, em quaisquer aspectos. Contudo, há diferenças em termos de saúde, suporte social (dimensão número), e bem-estar espiritual (dimensão pessoal) entre trabalhadores e reformados, sempre a favor do primeiro grupo. Também se observou a correlação entre saúde e bem-estar espiritual (pessoal, comunitário e transcendental) e suporte social (número). O estudo obteve, como preditores de saúde subjectiva, as variáveis suporte social (satisfação), bem-estar espiritual (pessoal), idade, e satisfação com a reforma.por
dc.language.isoporpor
dc.rightsopenAccesspor
dc.subjectReformapor
dc.subjectSaúde subjectivapor
dc.subjectSuporte socialpor
dc.subjectBem-estar espiritualpor
dc.titleA saúde subjectiva de pessoas na transição para a reforma: contributos do suporte social percebido e do bem-estar espiritualpor
dc.typemasterThesispor
dc.peerreviewedyespor
thesis.degree.grantorUniversidade do Algarve. Faculdade de Ciências Humanas e Sociaispor
thesis.degree.levelMestrepor
thesis.degree.nameMestrado em Psicologia Clínica e da Saúdepor
Aparece nas colecções:FCH1-Teses
UA01-Teses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DISSERTACAO-MARILENA.pdf400,8 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.