Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/2651
Registo completo
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorMartins, Maria Helena-
dc.contributor.authorPassos, Luísa Catarina Pinguinha-
dc.date.accessioned2013-04-02T18:16:32Z-
dc.date.available2013-04-02T18:16:32Z-
dc.date.issued2010-
dc.identifier.other159.922.7 PAS*Gén Cave-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10400.1/2651-
dc.descriptionDissertação de mest., Psicologia Clínica e da Saúde, Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Univ. do Algarve, 2010por
dc.description.abstractÉ desde o berço que se transmitem diversas directrizes acerca do que é habitual um menino ou uma menina fazer. De que modo os conceitos de papel do género transmitidos poderão contribuir para a formação da ideia que a criança tem de si, dos outros e vice-versa? Tendo como base um estudo de natureza quantitativa, descritiva e correlacional, a presente investigação realizou-se no Agrupamento Vertical de Escolas Padre João Coelho Cabanita de Loulé, com o objectivo de analisar a relação entre o papel do género e a formação do auto-conceito em crianças e adolescentes, atendendo à relevância que esta problemática apresenta para o desenvolvimento do Individuo. De acordo com o objectivo geral pretendeu-se ainda contribuir para o estudo de adaptação e validação para a população portuguesa do Children’s Sex Role Inventory – CSRI de Janet Boldizar (1991), doravante designado por Inventário do Papel do Género em Crianças. No presente estudo utilizou-se ainda a Escala de Auto-conceito (Piers-Harris Children’s Self-Concept Scale 2 - PHCSCS-2), adaptada e validada, para a população portuguesa, por Veiga (2005). A amostra foi constituída por um total de 406 alunos, entre os 9 e os 15 anos de idade a frequentar do 4º ao 7º anos de escolaridade. Para a adaptação da Escala CSRI, a amostra foi de 206 alunos, e posteriormente, num segundo momento, integrou 200 alunos. A análise dos resultados permitiu verificar que, à semelhança das investigações desenvolvidas na área, os rapazes apresentam maior identificação com os traços masculinos e as raparigas com os traços femininos, bem como, valores de Auto-conceito superiores quanto ao das raparigas, em todas as subescalas do Auto-conceito à excepção da subescala do “Aspecto Comportamental” e níveis de “Ansiedade”.por
dc.language.isoporpor
dc.rightsrestrictedAccesspor
dc.subjectCriançaspor
dc.subjectAdolescentespor
dc.subjectPapel do géneropor
dc.subjectAuto-conceitopor
dc.subjectValidação de escalapor
dc.titleO género e o auto-conceito: contributos para o estudo do papel do género na formação do auto-conceitopor
dc.typemasterThesispor
dc.peerreviewedyespor
thesis.degree.grantorUniversidade do Algarve. Faculdade de Ciências Humanas e Sociaispor
thesis.degree.levelMestrepor
thesis.degree.nameDissertação de Mestrado em Psicologia Clínica e da Saúdepor
Aparece nas colecções:FCH1-Teses
UA01-Teses



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.