Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/3693
Título: O papel das práticas parentais no desenvolvimento e no bem-estar subjetivo da criança
Autor: Guerreiro, Ana Marlene Seita
Orientador: Vieira, Luís Sérgio
Data de Defesa: 2013
Resumo: O principal objetivo do presente estudo foi explorar o papel das práticas parentais no bem-estar subjetivo da criança em idade pré-escolar, no sentido de identificar as práticas mais positivas e provavelmente favoráveis a um desenvolvimento harmonioso. Deste modo, procurou-se avaliar até que ponto as diferentes práticas parentais utilizadas pelos pais afetam o bem-estar dos seus filhos, ao nível da sua satisfação geral com a vida e da avaliação emocional (positiva ou negativa) que fazem em relação à mesma. Para a concretização da presente investigação foram efetuados dois estudos, um de natureza qualitativa e outro de natureza quantitativa. O estudo qualitativo, efetuado através de Entrevistas Semiestruturadas Individuais, permitiu-nos conhecer a perceção da criança acerca do conceito de felicidade e os indicadores de bem-estar subjetivo das crianças a partir das suas próprias declarações. Através deste estudo, pudemos também identificar os fatores sociodemográficos e as práticas parentais mais relevantes na variância do bem-estar subjetivo das crianças e conhecer eventuais dificuldades e necessidades sentidas pelos pais na promoção do bem-estar subjetivo dos seus filhos. O estudo quantitativo possibilitou a recolha de dados acerca do nível de bem-estar subjetivo das crianças (Escala de Afeto Positivo e Negativo para Crianças e Escala Multidimensional de Satisfação de Vida para Crianças; Giacomoni, 2002) e dos respetivos pais (Escala de Afetos Positivos e Negativos; Galinha & Pais Ribeiro, 2005; Escala de Satisfação de Vida; Simões, 1992). Permitiu-nos ainda fazer um levantamento das práticas parentais adotadas (Questionário de Estilos e Dimensões Parentais; Miguel, Valentim, & Carugati, 2009). Os resultados obtidos apontam para um poder preditivo das práticas parentais enquadradas no estilo parental permissivo na dimensão satisfação com os pares do bem-estar subjetivo da criança. Por outro lado, os mesmos resultados parecem indicar que as variáveis do contexto da educação pré-escolar, nomeadamente o tempo passado no jardim-de-infância e a frequência de atividades extracurriculares, o tempo de interação dos pais com os seus filhos ao fim de semana, a estrutura familiar e nível de bem-estar subjetivo dos próprios pais (a satisfação com a vida) são melhores preditores do bem-estar subjetivo da criança do que as práticas parentais.
Descrição: Dissertação de mest., Psicologia da Educação, Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, 2013
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/3693
Designação: Mestrado em Psicologia da Educação
Aparece nas colecções:FCH1-Teses
UA01-Teses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação_Ana Guerreiro.pdf1,47 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.