Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/612
Título: Does variability in temperature and chlorophyll concentration influence Wahoo and Yellowfin tuna landings in Bermuda (1990-2006)?
Autor: Matias, Cátia
Orientador: Pitt, Joanna
Erzini, Karim
Palavras-chave: Teses
Pescas
Temperatura
Clorofila
Cavala da Índia
Atum albacora
Correntes marinhas
Data de Defesa: 2009
Resumo: A Cavala da Índia (Acanthocybium solandri) e o Atum albacora (Thunnus albacares) são hoje em dia as principais espécies alvo da pescaria comercial nas Bermudas, capturadas principalmente nos bancos submarinos Challenger e Argus. Ambas são espécies migradoras da família Scombridae que ocorrem em águas tropicais e subtropicais nos oceanos Atlântico, Pacífico e Índico, incluindo no Mar das Caraíbas e também Mediterrâneo no caso da Cavala. Embora os seus movimentos e padrões migratórios ainda nao sejam totalmente compreendidos, pensa-se que ambas as espécies utilizam os montes submarinos das Bermudas como áreas de alimentação durante as suas migrações sazonais no oceano Atlântico. Enquanto a Cavala da Índia migra sazonalmente no Atlântico Central Oeste, deslocando-se para águas mais frias nos meses mais quentes, utilizando a Corrente do Golfo para o efeito, o Atum albacora apresenta o mesmo padrão geral de movimentos na região, mas também efectua migrações trans-Atlânticas. Estes movimentos foram detectados sobretudo entre a costa Este dos Estados Unidos e Golfo do México para o Golfo da Guiné na costa ocidental Africana. O facto de ser uma espécie endotérmica confere-lhes vantagens na procura de presas e fuga a predadores, por serem nadadores rápidos e contínuos, e permite-lhes ainda transpor as barreiras físicas impostas pela temperatura. O objectivo da pesquisa foi, primáriamente, perceber a influência da variabilidade da temperatura e da concentração de clorofila (aqui utilizada como um proxy para a disponibilidade de alimento na região) nas variações das capturas da Cavala da Índia e Atum albacora nas Bermudas, entre 1990 e 2006, através da decomposição e cruzamento das respectivas series temporais. Considerando ainda a influência já descrita que a variabilidade dos 4 fenómenos atmosféricos exercem sobre as populações de peixes, e tendo em conta que a Oscilação do Atlântico Norte (NAO) afecta tanto as águas do Mar dos Sargassos como da Corrente do Golfo, as potênciais relações entre a NAO e as capturas tambem foram exploradas. Os resultados indicam que tanto a temperatura da água do mar como a concentração de clorofila fazem variar as capturas de ambas as espécies na área, o que suporta a teoria anteriormente postulada de que os montes submarinos das Bermudas são utilizados como área de alimentação sazonal. Enquanto as variações da temperatura da água parecem ser o gatilho que potencia a dinâmica dos os seus movimentos migratórios, a concentração de clorofila determinante do tempo que os indivíduos de ambas as espécies permanecem na área das Bermudas e em que números. No que diz respeito à concentração de clorofila, as melhores correlações com as capturas foram detectadas com lags de 3 e 6 meses para a Cavala e 4 meses para o Atum. A Cavala da Índia revelou-se no entanto mais dependente do bloom de primavera, que até certo ponto é influênciado pela NAO. O aumento da intesidade das tempestades de inverno na área é potênciado por fases negativas da NAO. Embora as tempestades não sejam tão fortes como na fase positiva, elas ocorrem a uma latitude mais baixa e por isso influênciam o mar dos Sargassos. Ocorre então uma mistura mais profunda da coluna de água com a consequente subida de nutrientes para a zona fótica, o que promove blooms de primavera mais intensos, proporciona mais alimento para os níveis tróficos intermédios e como tal mais capturas. O Atum albacora tambem é dependente do bloom de primavera, mas as capturas efectuadas durante o verão e outono seguem de modo mais fiel os níveis de clorofila de maio e junho. A espécie poderá usar a ilha e os bancos submarinos como pontos de orientação para as suas migrações no final da primavera (maio/junho), uma vez que detecta padrões em campos magnéticos, e movimentar-se à procura de alimento numa região mais vasta durante o verão e o outono, se a produção primária local não os encorajar a ficar. Esta possível diferenca de comportamento entre as duas especies poderá estar relacionada com as características fisiológicas e capacidade de natação do Atum albacora. A NAO revela tambem um impacto nas populações locais através da sua influência na latitude da parede norte da Corrente do Golfo. As capturas totais sao geralmente mais elevados quando uma fase negativa prolongada da NAO resulta numa latitude mais Sul da parede norte 5 da Corrente do Golfo. Estes resultados podem simplesmente indicar que os indivíduos são dirigidos para as Bermudas pela corrente, ou que a posição relativa da latitude da Corrente do Golfo desempenha um papel importante na determinação das suas áreas de alimentação preferidas. O Atum albacora apresentou uma correlação um pouco mais elevada com o Índice da Corrente do Golfo do que a Cavala, o que apoia a teoria de que se desloca numa área mais vasta do que a última para procurar alimento. Embora tanto a abundâcia das populações como as suas capturas sejam dependentes de um grande número de variáveis, os quatro factores aqui investigados parecem enquadrar-se entre os mais importantes, contribuindo para uma proporção considerável da variabilidade nas capturas locais de Cavala da Índia e Atum albacora. É no entanto importante ter em mente que os de dados de capturas comerciais confudem variabilidade climática, de forças ambientais, da dinânima das populações e de métodos de exploração variáveis, e ainda que a co-ocurrência de eventos na comparação de séries temporais não prova necessariamente a sua causalidade, e por esse motivo este estudo deve ser considerado uma análise exploratória inicial.
Descrição: Dissertação de mest., Biologia Marinha, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade do Algarve, 2009
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/612
Designação: Mestrado em Biologia Marinha
Aparece nas colecções:FCT1-Teses
UA01-Teses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Report.pdf944,48 kBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.