Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/551
Título: Optimização do cultivo monocional da anémona vidro Aiptasia pallida (Agassiz in Verril, 1864), com ênfase para a importância dos ácidos gordos
Autor: Nunes, Cristóvão José Martins
Orientador: Dinis, Maria Teresa
Calado, Ricardo
Palavras-chave: Teses
Aquacultura
Ácidos gordos
Propagação
Data de Defesa: 2008
Resumo: O presente trabalho avaliou a propagação clonal da anémona Aiptasia pallida em laboratório sob diferentes condições de densidade inicial de anémonas (9 e 18 indivíduos 0,1m-2), luz (natural (L) e escuridão (E)), temperatura (22ºC e 26ºC) e dieta (náuplios de Artemia (N) e metanáuplios de Artemia enriquecidos com microalga (ME)). Foi igualmente analisado o conteúdo em ácidos gordos de anémonas cultivadas nas diferentes condições experimentais, utilizando anémonas selvagens como padrão. Previamente ao início da experiência foi adoptada uma nova medida morfométrica para o estudo destas anémonas, o diâmetro da coluna junto ao disco basal (DCDB) e designaram-se as seguintes classes de tamanho: Muito Pequena (MP) (DCDB < 3 mm), Pequena (P) (3 mm < DCDB < 6 mm), Média (M) (6 mm < DCDB < 9 mm) e Grande (G) (DCDB > 9 mm). Estabeleceram-se ainda diferentes quantidades óptimas de alimento (náuplios) para indivíduos pertencentes às diferentes classes de tamanho estabelecidas: MP – 100, P – 300, M – 900 e G – 1500. Verificou-se que as anémonas cultivadas no escuro, a temperatura mais elevada e alimentadas com náuplios apresentam maiores taxas de multiplicação. Isto deve-se essencialmente ao facto dos náuplios serem mais ricos nutricionalmente relativamente aos metanáuplios e ao facto das anémonas se movimentarem mais no escuro, procurando a luz e ocorrendo uma maior taxa de laceração do pedúnculo basal. Por outro lado, anémonas expostas às mesmas condições de temperatura e alimentação, mas cultivadas na presença de luz, contém maior conteúdo de ácidos gordos. Destacou-se o DHA, sendo o ácido gordo que apresentou maior conteúdo nos tratamentos expostos à luz e com uma diferença bastante notável relativamente às anémonas selvagens. Esta diferença no conteúdo em ácidos gordos em anémonas expostas à luz deve-se à síntese destes compostos pelos dinoflagelados simbiontes (zooxantelas) presentes nestes organismos.
Descrição: Dissertação de mest., Biologia Marinha, Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente, Universidade do Algarve, 2008
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/551
Designação: Mestrado em Biologia Marinha. Especialização em Aquacultura e Pescas
Aparece nas colecções:UA01-Teses



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.