Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.1/2407
Título: The role of lymphotoxin-B receptor signaling in t-cell acute lymphoblastic leukemia development
Autor: Fernandes, Mónica Alexandra Teotónio
Orientador: Santos, Nuno Rodrigues dos
Palavras-chave: Leucemia linfoblástica aguda de linfócitos T
Timo
Microambiente
Desenvolvimento da leucemia
Receptor da linfotoxina-beta
NF-kappaB
Receptor da linfotoxina-beta
NF-kappaB
Data de Defesa: 2010
Resumo: A leucemia linfoblástica aguda de linfócitos T (LLA-T) é uma patologia hematológica maligna que afecta essencialmente crianças e adultos jovens e é fatal na ausência de um diagnóstico precoce e uma terapêutica apropriada. Sabe-se que a LLA-T tem origem em precursores dos linfócitos T, também designados por timócitos, que sofrem um bloqueio da diferenciação e expansão clonal durante o seu desenvolvimento no timo. As células imaturas transformadas acabam por entar na corrente sanguínea e invadir vários órgãos pelo que esta doença se caracteriza por leucocitose, maior ou menor invasão da medula óssea por células leucémicas e pelo envolvimento de órgãos como o baço, fígado e gânglios linfáticos e, por vezes, do sistema nervoso central. Na origem do desenvolvimento da LLA-T encontram-se sucessivas alterações génicas que afectam os timócitos como, por exemplo, translocações cromossómicas que levam à sobre-expressão de factores de transcrição oncogénicos ou criam genes de fusão aberrantes, delecções, duplicações e mutações específicas em proto-oncogenes ou em genes supressores de tumores. Estas alterações acabam por desregular processos cujo controlo tem uma importância extrema e que acabam por conduzir as células transformadas a sofrer um bloqueio da sua diferenciação e a adquirir capacidades de auto-renovação ilimitada, de subverter os controlos da proliferação e de resistir a sinais pro-apoptóticos. Apesar da grande maioria dos conhecimentos adquiridos até à data sobre o desenvolvimento da LLA-T dizerem respeito a alterações génicas presentes nas células leucémicas, a importância dos factores do microambiente onde as células cancerosas se desenvolvem tornou-se evidente nas últimas décadas. Acredita-se que as células neoplásicas podem interagir com as células que compõem o microambiente de forma a estas modificarem a expressão génica para produzir factores que favoreçam o desenvolvimento das primeiras. Como a LLA-T tem origem no timo e este órgão é caracterizado por possuir um microambiente dinâmico, rico em factores de crescimento, citoquinas e contactos linfo-estromais indispensáveis para o desenvolvimento dos timócitos ou das próprias células do estroma tímico, será razoável acreditar que as células que constituem o estroma do timo poderão intervir de alguma forma no desenvolvimento da doença em questão. Recentemente, num modelo murino de LLA-T, descobriu-se que a proteína RelB expressa em células do estroma tímico, pertencente à família de factores de trancrição NF-κB, é importante para o desenvolvimento desta doença. Esta descoberta apoia a hipótese de que sinais moleculares produzidos pelos timócitos transformados podem, através da activação do factor de transcrição RelB em células do estroma tímico, levar à expressão de factores importantes para o desenvolvimento de leucemia. Contudo, os sinais provenientes do estroma tímico que favorecem o desenvolvimento da LLA-T ainda constituem um enigma. A proteína RelB é activada por membros da superfamília de receptores TNF que activam a via alternativa do NF-κB como, por exemplo, o receptor da linfotoxina beta (LTβR) ou o receptor activador do NF-κB (RANK) e, tal como no caso da proteína RelB, a sua ausência em células do estroma tímico leva a defeitos na microestrutura do timo. Estudos prévios de transcriptómica forneceram dados adicionais que poderão implicar o LTβR no desenvolvimento da leucemia. Estes estudos revelaram níveis de expressão aumentados dos genes que codificam o ligando do LTβR, Lta e Ltb, em células leucémicas TEL-JAK2 quando comparadas com timócitos normais. As proteínas resultantes da expressão dos genes referidos, linfotoxina α e linfotoxina β, formam o heterotrímero LTα1β2 que é expresso na superfície dos timócitos e que, por ligação ao receptor da linfotoxina β expresso na superficie de células do estroma tímico, iniciam a via de sinalização do LTβR. Esta ligação induz a formação de complexos de sinalização citoplasmáticos contendo factores associados a TNFR (TRAFs) que regulam interacções do receptor com vias de sinalização intracelulares a jusante do mesmo. A via de sinalização LTα1β2/LTβR pode activar a via canónica ou a via alternativa do NF-κB conduzindo a diferentes padrões de expressão conforme a via activada. A activação dos heterodímeros p52/RelB (via alternativa) induzida pelo LTβR resulta na expressão de quimiocinas como CCL19, CCL21, CXCL12 ou CXCL13. Destas, as quimiocinas CCL19 e CCL21 e o seu receptor CCR7 que é expresso na superfície de timócitos, foram implicados no desenvolvimento de cancro. Diversos estudos recentes têm sugerido também o envolvimento da via de sinalização LTα1β2/LTβR no desenvolvimento de cancro por activação constitutiva de factores de transcrição da família NF-κB. É portanto possível que a interacção do heterotrímero LTα1β2 produzido pelos timócitos transformados com o receptor da linfotoxina β em células do estroma tímico promova a activação do factor de transcrição RelB e consequente expressão dos seus genes-alvo que podem favorecer o desenvolvimento da leucemia linfoblástica aguda de células T. A realização deste trabalho teve como objectivo compreender o papel do LTβR no desenvolvimento da LLA-T. Para isto, recorreu-se ao ratinho transgénico TEL-JAK2 que desenvolve LLA-T a partir de timócitos que expressam a proteína de fusão e que constituem um modelo relevante para a LLA-T humana pois a proteína de fusão TEL-JAK2 também foi identificada em amostras primárias de doentes. Através da realização de RT-PCR semi-quantitativo e quantitativo, verificámos que as células T leucémicas apresentavam uma expressão mais elevada dos genes que codificam o ligando Ltα1β2, Lta e Ltb, quando comparadas com os timócitos normais. Também verificámos que o gene Ltbr é expresso em tumores do timo de ratinhos TEL-JAK2 o que demonstra que a via de sinalização LTα1β2/LTβR pode ocorrer no timo. De forma a avaliar se o desenvolvimento da leucemia induzida pela proteína de fusão TEL-JAK2 é comprometido na ausência do LTβR, cruzou-se ratinhos trangénicos TEL-JAK2 com ratinhos nos quais a expressão do gene Ltbr foi eliminada, de forma a gerar coortes de ratinhos TEL-JAK2;Ltbr-/- e TEL-JAK2;Ltbr+/-. Estes ratinhos foram monitorizados de forma a verificar se haviam diferenças significativas em termos de tempo de desenvolvimento da leucemia entre os dois grupos. Verificou-se que a inexistência do LTβR atrasou significativamente o desenvolvimento da leucemia em ratinhos TEL-JAK2 apesar da massa tumoral nos órgãos linfóides e o fenótipo da superfície celular das células leucémicas não apresentarem alterações significativas entre os dois grupos estudados. Assim, podemos concluir que o receptor da linfotoxina β deve contribuir para o desenvolvimento da LLA-T. No entanto, será necessário desenvolver mais estudos para se compreender como a sinalização através deste receptor afecta o desenvolvimento da LLA-T, antes que esta via possa constituir um alvo terapêutico a considerar para a doença em questão.
Descrição: Dissertação de mest., Ciências Biomédicas, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Univ. do Algarve, 2010
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.1/2407
Designação: Mestrado em Ciências Biomédicas
Aparece nas colecções:FCT1-Teses
UA01-Teses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
MSc.Thesis_MFernandes.v2.1.pdf1,92 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.